ORCRIM GIRASSOL: Nova operação da Polícia Federal deve focar na terceirização da educação no governo de Ricardo Coutinho

O modus operandi do PSB foi descoberto: terceirizam-se os serviços essenciais com organização sociais corruptas que em seguida pagam “pedágio”, ou melhor, propina pra usar nas campanhas eleitorais e enriquecer os membros da ORCRIM girassol.

Esta é a lógica da famigerada terceirização implantada pelo ex-governador Ricardo Coutinho, que desde 2011 vem desviando dinheiro da saúde.

Mas como a Operação Calvário está focada na saúde, e tem trabalho pra mais de meses, já que a roubalheira é generalizada, uma nova operação deverá investigar apenas os contratos da Educação, desafogando assim a Calvário.
O que pode fazer dos envolvidos na Operação Calvário mero batedores de carteiras, já que os valores pagos às organizações sociais da educação são disparadamente superior.

Leto Viana afirma que radialista Fabiano Gomes deu um golpe em Luceninha e recebia mesada de R$ 30 mil

Em depoimento realizado na Polícia Federal no último dia 09 de abril, o ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana, preso há 1 ano, afirmou que repassava mesada de R$ 30 mil para o radialista Fabiano Gomes. Valor que posteriormente foi reduzido para R$ 20 mil.

De acordo com Leto, os valores seriam o pagamento pela participação de Fabiano na negociação que resultou na compra e venda do mandato de Luceninha, ex-prefeito que “renunciou” em 2013. E também para que o radialista emitisse opiniões contrarias à construção de um novo shopping em Cabedelo.

Leto ainda relata que Fabiano, Olívio (ex-secretário) e Lucas Santino (ex-vereador) aplicaram um golpe em Luceninha, desviando o dinheiro que, no acordo, deveria ser utilizado para pagamento de dívidas de campanha:

O outro lado:

A defesa de fabiano gomes esclarece que as declarações do ex-prefeito de Cabedelo Leto Viana – munido de artilharia desenfreada e sem compromisso com a verdade – entram em flagrante desacordo com o que disse, em juízo, o ex-prefeito Luceninha em referência a pessoa de Fabiano.

Em depoimento prestado à Polícia Federal dia 19 de março passado, Luceninha afirmou categoricamente que não sofreu qualquer pressão da parte de Fabiano para abrir mão de seu mandato de prefeito.

Se há na verborragia de Leto algo a considerar é a confirmação da real versão dos fatos de que nunca se recebeu um centavo sequer da Prefeitura de Cabedelo e sim do empresário Roberto Santiago, a quem prestava serviços de assessoria de comunicação. E, ao receber pagamentos de um multimilionário empresário, conhecido e respeitado pelos paraibanos, não caberia questioná-lo sobre a origem de seus recursos.

Reitera-se aqui – mais uma vez – que fabiano gomes segue à disposição das autoridades competentes, confiante de que a justiça será feita. E que os verdadeiros envolvidos serão condenados e quitarão suas dívidas com a sociedade.

 

OPERAÇÃO FANTOCHE: Presidente da FIEP, Buega Gadelha é preso em Brasília

O presidente da Federação das Indústrias no Estado da Paraíba (Fiep), Francisco de Assis Benevides Gadelha, o Buega Gadelha, foi preso na manhã desta terça-feira (19), em Brasília, durante operação da Polícia Federal.

Ele é um dos alvos da operação ‘Fantoche’, da Polícia Federal, deflagrada para cumprir mandados contra um esquema suspeito de crimes contra a administração pública, fraudes licitatórias, associação criminosa e lavagem de ativos no Ministério do Turismo e entidades do Sistema S.

Procurada pelo Portal MaisPB, a Fiep informou que ainda não tem um posicionamento em relação à operação, e está aguardando entrar em contato com Buega, que desde o último domingo (17) está em Brasília cumprindo uma agenda de trabalho. O Portal MaisPB também tentou contato com Buega, mas o telefone estava desligado.

Em nota, a Federação informou que o presidente está disposto a colaborar com as investigações e dar respostas às autoridades competentes. Ainda de acordo com a Fiep, Buega afirmou que o Sistema de Indústria da Paraíba está ‘tranquilo e sem qualquer receio’.

Na Paraíba, são cumpridos três mandados de busca e apreensão, todos em Campina Grande, e outro de prisão temporária, esse contra Buega. Ainda não há informações sobre o que teria motivado o pedido de prisão contra o paraibano.

Na operação foi preso o presidente da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Robson Braga de Andrade. Ainda há mandados de prisão contra o presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco, Ricardo Essinger e presidente da Federação das Indústrias de Alagoas, José Carlos Lyra de Andrade.

A operação investiga um esquema de corrupção envolvendo um grupo de empresas controladas pela mesma família que estaria executando contratos por meio de convênios com o Ministério de Turismo e com as entidades do Sistema S.

MaisPB

POLÍCIA FEDERAL: Temer lavou propina em imóveis da família

A polícia federal avança nas investigações sobre a lavagem de dinheiro atribuída a Michel Temer. A nova evidência encontrada pela Polícia Federal são transações imobiliárias em nomes de terceiros que dizem respeito a imóveis pertencentes à família Temer. Marcela Temer e o filho do casal são proprietários de alguns desses imóveis.

A investigação é um desdobramento das conexões entre Temer e seu operador, o coronel João Baptista de Lima Filho, cujo montante de propina repassada a Temer chega a R$ 2 milhões.

Reformas também estão na lista de possíveis ilegalidades o horizonte judicial do emedebista e aí entram aparecem os nomes da filha Maristela Temer e a sogra, Norma Tedeschi.

Maria Rita Fratezi, mulher do coronel Lima, teria repassado em dinheiro vivo a fornecedores pagamentos de reforma de um imóvel pertencente à Maristela.

Empresas como JBS e Engevix aparecem como possíveis fornecedores do dinheiro que serviu a pagamentos de reformas, em cruzamentos financeiros que remontam às campanhas eleitorais do MDB.

Entidades de classe da Polícia Federal se articulam para eleger representantes na Câmara; Geraldo Amorim é o escolhido na Paraíba

Policial Federal aposentado e ex-vereador de João Pessoa, Geraldo Amorim é o escolhido na Paraíba para representar a categoria nas eleições, almejando uma vaga de deputado federal. Amorim conta com o apoio da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais – APCF, que vai lançar um candidato identificado com a categoria em cada estado da federação.

A ideia é eleger um bancada para fazer lobby no Congresso e defender os interesses da categoria e fortalecer o combate à corrupção no Brasil.

Assim como a bancada dos evangélicos, dos ruralistas e tantas outras, agora também vai surgir a bancada da Lava-Jato, mas no bom sentido.

Promessa de renovação, Amorim foi vereador de João Pessoa por dois mandatos e não disputou o terceiro porque sempre foi contra mais de uma reeleição no legislativo. Nos últimos 6 anos ocupou a secretaria de segurança de João Pessoa e foi o responsável pela modernização e aparelhamento da Guarda Municipal.

Prefeito e primeira-dama de Cabedelo são presos pela Polícia Federal

A Polícia Federal, em ação conjunta com o MPPB (GAECO), deflagrou na manhã desta terça (3) a operação Xeque-Mate com objetivo de desarticular esquema de corrupção na administração pública de Cabedelo/PB, no âmbito dos poderes executivo e legislativo municipal.

Confira abaixo a lista dos alvos até o momento. Operação está agora também na casa do empresário Roberto Santiago, dono do Manaíra Shopping

Entre os alvos da operação estão os vereadores: Lúcio José; Tercio Dornelas;  Jackeline (mulher do prefeito); Júlio Datele e Antônio do Vale.

Segundo o advogado Marcos Pires, o empresário Roberto Santiago não foi detido na operação, apenas a residência foi alvo de mandado de busca e apreensão.

Participam da operação cerca de 200 policiais federais. Serão cumpridos 11 mandados de prisão preventivas, 15 sequestros de imóveis e 36 de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba. Além dos mandados, a justiça decretou o afastamento cautelar do cargo de 85 servidores públicos, entre eles o prefeito e o vice-prefeito de Cabedelo, e o presidente da Câmara Municipal.

Durante as investigações, ficou comprovado a participação das principais autoridades públicas do município que se beneficiavam do esquema de diversas formas, tendo registrado aumento patrimonial espantoso, muito acima do condizente com sua renda. Somente na aquisição de imóveis nos últimos cinco anos, verificou-se que um agente político envolvido movimentou mais de 10 milhões de reais à margem do sistema financeiro oficial. Operação está agora também na casa do empresário Roberto Santiago.

O advogado do empresário, Marcos Pires, confirmou que Roberto Santiago não foi preso. “Não tenho nada a declarar, só vim prestar minha solidariedade ao amigo Roberto Santiago, empresário respeitado, bem quisto e de boa índole. Vamos nos reunir no shopping e a partir daí, ficar a par do que está acontecendo e o que será feito de nossa parte”, explicou o advogado do empresário.

Em um dos esquemas, foram detectados funcionários fantasmas da prefeitura e da câmara municipal que recebiam salários de até R$20.000 e entregavam a maior parte para as autoridades locais, ficando de fato com valores residuais.

Foram constatadas ainda doações fraudulentas de imóveis do patrimônio público municipal, bem localizados e de alto valor, para empresários locais sem que houvesse critérios objetivos para a escolha do beneficiado.

Os envolvidos responderão por formação de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e fraude licitatória. O prefeito responderá ainda por crime de responsabilidade de prefeito. O MPPB e a PF disponibilizam o endereço eletrônico http://xequemate.mppb.mp.br para denúncias relativas à investigação. _Haverá coletiva de imprensa às 10h30 na Superintendência Regional da Polícia Federal_

EXCLUSIVO: Secretário de Cartaxo pode cair nas próximas horas

Uma fonte revelou ao Polítika que o prefeito Luciano Cartaxo já admite afastar o secretário de infraestrutrura, Cássio Andrade. A demissão seria motivada pela suspeita de superfaturamento nas obras de revitalização do Parque da Lagoa.

O prefeito tem sentido o desgaste da Operação Irerês (Polícia Federal), potencializado pelo bombardeio da mídia, e o afastamento seria uma resposta à sociedade.

E se ao final tudo não passar de suspeitas, Cássio Andrade reassume a pasta.