Ciro pode ser esperança para dias melhores – Por Ricardo Kotscho

“Alertei para a crise dos preços na Petrobras. Agora alerto para a crise do teto. Vai faltar escola e hospital. Vão me ouvir?” (Ciro Gomes, candidato a presidente pelo PDT).

***

Errei em post anterior ao pedir a renúncia do presidente Michel Temer como solução para esta crise sem fim.

Ao contrário, como me alertaram vários leitores, pode até agravá-la.

A esta altura dos acontecimentos, a saída de Temer só poderia dar mais força aos que pedem intervenção militar e querem melar as eleições.

E a eleição de 7 de outubro _ faltam apenas quatro meses e pouco _ é o melhor e único caminho para definirmos democraticamente que rumos queremos para o nosso país.

O que está em jogo agora, acima de tudo, é o futuro da nossa democracia ameaçada.

Em meio ao país conflagrado, sem ninguém saber para onde vamos, encontrei na noite de segunda-feira um fio de esperança.

Mesmo cansado e com sono diante do massacre do noticiário negativo, aguentei firme para assistir ao programa Roda Viva na TV Cultura.

Na série de entrevistas com os presidenciáveis, encontrei ali um candidato que sabe o que quer e fala o que pensa, sem rodeios.

Ciro Gomes mostrou-se em sua terceira candidatura presidencial como o mais preparado entre os que apareceram até agora para assumir essa bucha chamada Brasil.

Nestes anos em que ficou sem mandato, o ex-ministro de Itamar e Lula foi estudar nossos problemas para apresentar soluções e não ficar só nos diagnósticos dos seus principais concorrentes.

Sem medo de desagradar o mercado, foi direto ao ponto: se for eleito, vai taxar lucros e dividendos, aumentar a cobrança de impostos sobre heranças e grandes fortunas.

Em poucas palavras, pretende cobrar de quem tem e ganha mais para poder aliviar a vida dos mais pobres e investir em projetos sociais e de infra-estrutura, virando de ponta cabeça o atual sistema tributário, injusto e excludente.

Sabe que vai apanhar por isso, mas está disposto a encarar essa briga, que nenhum outro governo até agora comprou.

Vale a pena ouvir o que Ciro Gomes tem a dizer (o programa está disponível no site da TV Cultura).

Escrevo com pressa porque tenho um compromisso em seguida, mas queria deixar aqui registrado meu erro de avaliação no texto anterior e minha fé de que Ciro Gomes poderá ser a solução democrática para esta crise que a todos nós mais atormenta a cada dia.

Podemos sobreviver mais algum tempo a este desgoverno, mas ninguém vive sem esperança.

Vida que segue.

“A experiência que Luciano tem, Lucélio também tem, é um prefeito auxiliar”, afirma Geraldo Amorim

Policial federal aposentado e pré-candidato a deputado federal pelo PV, o ex-vereador de João Pessoa, Geraldo Amorim, ressaltou nesta terça-feira, 08, as qualidades do pré-candidato ao governo Lucélio Cartaxo: “A experiência que Luciano tem, Lucélio também tem, é um prefeito auxiliar”.

Amorim também destacou a forma como Luciano e Lucélio fazem política e ressaltou a diferença com os adversários.

“Político sem sensibilidade é um ditador. Uma gestão não se faz apenas com obras de cal e pedra, é preciso cuidar das pessoas, como Cartaxo faz ao melhorar e ampliar as creches e construindo mais de 7 mil moradias”, disse Amorim.

 

 

 

 

Em Sousa, Lucélio Cartaxo recebe novos apoios e dialoga com 6 prefeitos do Sertão

Dando sequência à agenda de diálogo com prefeitos, lideranças políticas e com a população, Lucélio Cartaxo (PV), participou, nesta quinta-feira (19), de uma grande reunião com representantes de seis cidades sertanejas que declararam apoio incondicional à sua pré-candidatura para o Governo do Estado. O encontro aconteceu em Sousa, cidade onde Cartaxo nasceu e obteve mais de 54% na disputa para Senado nas eleições de 2014.

Na reunião, Lucélio afirmou ter uma vida semelhante à de muitos paraibanos, que nasceram na região e depois foram morar em João Pessoa. “Como sertanejo, posso dizer que tenho história e identidade com os milhares de paraibanos que vivem na região”, comentou. Cartaxo também reforçou que “é a hora da Paraíba avançar por um caminho novo, com trabalho, resultado e um governo mais próximo das pessoas”, disse.

Além de tratar dos principais problemas da região, os prefeitos alertaram para a importância de mais parcerias entre o governo estadual e os municípios. Lucélio ponderou que “o primeiro passo para uma vida melhor começa nas cidades, com a gestão pública que precisa chegar na ponta e fazer a diferença no dia a dia da população”. Com o “trabalho conjunto”, mencionou, é “possível elevar o padrão e eficácia dos serviços em áreas como a saúde e a educação”.

Reunião – Participaram do encontro os prefeitos Bosco Fernandes (Uiraúna), Júlio César (Aparecida), Salvan Mendes (Nazarezinho), Zé de Pedrinho (Marizópolis), Roberto Bayma (Bom Jesus), Dedé (Poço Dantas) e o ex-prefeito de Cachoeira dos Índios, Bodinho. Cartaxo também se reuniu com vereadores, além de lideranças políticas de outras cidades da região.

“O povo de Santa Rita não quer pratos de sopa, quer indústrias para garantir emprego e dignidade”, afirma Henrique Maroja

Pré-candidato a deputado estadual pelo PPS, o advogado e empresário Henrique Maroja criticou nesta quarta-feira, 18, o assistencialismo eleitoreiro promovido pela prefeitura de Santa Rita. Segundo Henrique, a população de Santa Rita não quer pratos de sopa, quer indústrias para garantir emprego e dignidade.

“Precisamos planejar Santa Rita para o futuro e atrair indústrias, pois só assim vamos garantir trabalho e dignidade para o nosso povo. Temos uma área de 726 km² – três vezes maior que a cidade de Recife -, duas BR’s cortam nossa cidade e ainda estamos próximo do Porto de Cabedelo. Chegou a hora de explorar esse potencial estratégico e atrair novas empresas”, afirma Maroja.

Henrique Maroja vai propor uma sessão especial na Assembleia Legislativa para debater formas de aproveitar o potencial estratégico de Santa Rita para atrair mais industrias e consequentemente melhorar a qualidade de vida dos santa-ritenses.

 

O desafio de Lucélio Cartaxo e a estadualização da “gestão por resultados”

Confirmado como pré-candidato a governador pelo maior bloco da oposição – que reúne os prefeitos de Campina e João Pessoa, os senadores Cássio Cunha Lima e Raimundo Lira, além da maioria dos prefeitos das 20 maiores cidade da Paraíba -, Lucélio Cartaxo terá o desafio de estadualizar e defender o projeto do irmão como alternativa para a Paraíba.

A “gestão por resultados”, como classifica o próprio prefeito Luciano Cartaxo, conta hoje com mais de 70% de aprovação em João Pessoa e deverá ser a vitrine da campanha do irmão, garantindo que seu eventual governo não seria um tiro no escuro.

Na Grande João Pessoa, Cartaxo – o prefeito – seria o “garantidor” do outro Cartaxo.

Para isso Lucélio não pode titubear na defesa do modelo de “gestão por resultados” e precisa dominar os problemas da Paraíba e apontar soluções objetivas. Como barrar a crescente onda de violência? Como diminuir a maior carga tributária do Nordeste? Como melhorar a educação e o IDEB que cai a cada avaliação desde o primeiro ano do governo Ricardo?

Lucélio já tem o recall da campanha de 2014 ao Senado, inclusive com discursos calorosos de Ricardo Coutinho, que agora vai dizer que ele não presta. Também conta a favor de Lucélio o voto cassista no estado e a chancela de Romero Rodrigues em Campina Grande.

Mas será o projeto apresentado e a capacidade de defendê-lo nos debates, guia eleitoral e comícios que vai determinar o sucesso da oposição.

Pré-candidato a deputado federal, Geraldo Amorim é contra a privatização da Eletrobrás

O ex-vereador de João Pessoa e pré-candidato a deputado federal, Geraldo Amorim, se declarou nesta quinta-feira, 22, contrário a privatização da Eletrobras. O projeto de lei foi enviado pelo presidente Michel Temer e tramita nas comissões da Câmara Federal

“Não é justo que entreguemos um patrimônio estratégico do povo brasileiro ao capital estrangeiro que só pensa em lucro. Tenho certeza que o que irá acontecer em caso de privatização é o aumento de tarifa e precarização do serviço, como aconteceu na telefonia”, afirmou Amorim.

Segundo o pré-candidato, hoje temos o pior serviço de telefonia e o mais caro do mundo. “Não entendo porque as estatais de energia e telefonia dão lucro em países desenvolvidos, mas só aqui no Brasil temos prejuízo. É uma questão de gestão ou de corrupção”, concluiu Geraldo Amorim.

2018: Voto de Veneziano pelo impeachment complica seu nome dentro do PSB

Um dos melhores nomes que o governador Ricardo Coutinho tem em sua cartola para 2018, o deputado federal Veneziano conta com um fato negativo que complica sua possível candidatura dentro do jardim girassol: o voto pelo impeachment da ex-presidente Dilma.

Além de ter sido uma posição contrária à cúpula do PSB e do governo Ricardo; o que representa uma incompatibilidade ideológica, um palanque com Lula e Veneziano seria inaceitável por parte de dirigentes petistas e do próprio Lula. É preciso lembrar que Lula vem ressurgindo das cinzas, lidera as pesquisas e ainda é muito forte no Nordeste e pode fazer a diferença em 2018.

E como o impeachment foi desmascarado e descobrimos ser um golpe, a fama de golpista ganha muito mais força, convertendo-se em rejeição no eleitorado mais progressista. E dentro do PSB também.

O voto de Veneziano pelo impeachment foi considerado um dos mais covardes, pois por diversas vezes Lula veio à Paraíba fazer campanha e pedir votos para o então aliado. Dilma também, com diversas mensagens na TV.

Em resumo, Veneziano sempre contou com o apoio do PT, Dilma e Lula, mas quando precisaram ele não soube retribuir os gestos…

Em Piancó, Romero estreita laços políticos com outros prefeitos da região e continua interiorizando seu nome

Durante sua permanência no município de Piancó, no Sertão, nesta terça-feira, 13, o prefeito Romero Rodrigues teve a oportunidade de estreitar laços políticos com colegas da região do Vale. Recebido pelo anfitrião Daniel Galdino e a mãe, ex-prefeita Flávia Galdino, Romero não só prestigiou a tradicional missa em celebração a Santo Antônio, padroeiro da cidade, como concedeu entrevista com outras lideranças políticas e participou de almoço que reuniu várias autoridades.

Entre os prefeitos com quem manteve contato e conversou sobre gestão e panorama político do próximo ano, além de Daniela Galdino, Romero Rodrigues se encontrou com Zé Leite (São José de Caiana), Genoilton João de Carvalho Almeida (Olho D´água), Dedé (Santana dos Garrotes), Nilson Lacerda (Conceição) e Segundo Madruga (Emas). Dezenas de vereadores, ex-prefeitos e lideranças diversas também cumprimentaram o prefeito tucano de Campina Grande na residência de Galdino.

Romero esteve acompanhado na visita pelo deputado federal Rômulo Gouveia (PSD) e o deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB), ambos aliados. Na missa, assitiu a toda celebração na companhia do senador Raimundo Lira (PMDB).

Para Romero Rodrigues, foi extremamente importante o encontro mantido com colegas e lideranças do Vale do Piancó, principalmente pela oportunidade de estreitar laços e trocar experiências com homens e mulheres públicos experientes, além de ter a chance de detalhar os avanços administrativos da atual gestão municipal de Campina Grande.