EX-PRESIDIÁRIO: Berg Lima pode ser afastado da prefeitura de Bayeux a qualquer momento

A suspensão da liminar que mantém no cargo o prefeito ex-presidiário de Bayeux pode ser julgada a qualquer momento no STJ. O processo está concluso para julgamento desde o dia 28 de fevereiro.

A permanência de um gestor preso em flagrante ao cobrar propina de um fornecedor fere de morte o princípio constitucional da moralidade administrativa.

O ex-presidiário não tem moral nem para ser síndico de condomínio, pois quando desempenhou a função de síndico, antes de se tornar político, também foi acusado de desvios.

Vereador Jeferson Kita, do PSB, livra Berg Lima da cassação pela terceira vez e já pode pedir música no Fantástico

O que faz um vereador livrar um prefeito corrupto da cassação por três vezes, mesmo sendo de um partido de oposição ao prefeito ex-presidiário Berg Lima? Seria a relação estreita do vereador Jeferson Kita com Berg? Os cargos que o vereador tem na gestão? Ou o prefeito ex-presidiário sabe de coisa que a gente não sabe?

A verdade é que Jeferson Kita salvou a pele de Berg Lima por três vezes. Na última agora, seu voto de minerva enterrou mais um pedido de cassação que estava empatado. O vereador deve achar normal manter um prefeito corrupto, preso em flagrante e condenado, gerindo milhões de reais por mês.

À população de Bayeux só resta uma saída; derrotar este parlamentar nocivo, que não tem vergonha nem o mínimo de pudor em trabalhar contra os interesses da população e a favor de um corrupto preso em flagrante.

E não só ele, mas os demais que votaram a favor de Berg Lima: Lico, Rubem, Dedeta, Netinho, Zé Baixinho, Adriano do Táxi, França e Guedes.

VÍDEO: Caminhão da prefeitura de Bayeux é utilizado para fazer mudança do prefeito ex-presidiário Berg Lima

O vereador Adriano Martins denunciou o desvio de um caminhão que é destinado a entregar merendas, no município de Bayeux, sendo usado para carregar móveis e fazer uma mudança na residência da mãe  do prefeito de Bayeux, Berg Lima, neste domingo (17). Assista ao vídeo acima.

Ao se aproximar, os homens encarregados da mudança tentaram fechar as portas do caminhão, mas o vereador exigiu que fosse aberto para mostrar os móveis.

Em seguida, os encarregados afirmaram que se tratava de uma ação social destinada a crianças carentes, ao que o vereador retrucou que “isso é a desculpa que acharam”.

“E aí, Ministério Público, e aí? E agora? Qual é a providência?”, provoca o vereador.

No vídeo, é possível confirmar a placa e notar a marca de adesivo removido na porta do veículo.

“Eles acham que o povo de Bayeux é imbecil mesmo”, criticou o vereador.

ClickPB

ATENÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO: Prefeito ex-presidiário de Bayeux faz contrato sem licitação no valor de quase R$ 2 milhões para o lixo

O Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público precisam agir imediatamente e investigar o contrato “emergencial” sem licitação realizado pelo prefeito ex-presidiário Berg Lima. Se o prefeito manter seu modus operandi e cobrar uma propina de 20%, como fez quando foi preso em flagrante com dinheiro na cueca, Berg estará metendo a mão em quase R$ 400 mil.

Nos bastidores comenta-se que Berg Lima deixou o lixo tomar conta de Bayeux para ter um álibi que justificasse a contratação emergencial sem licitação.

“Berg transformou Bayeux num grande lixão à céu aberto. Além do lixo comum, seus atos são um lixo de imoralidade e ilegalidade com o povo de nossa querida Bayeux. Haveremos de nos libertar desse pesadelo!”, disse o empresário Léo Micena.

A permanência de Berg Lima na prefeitura fere o princípio constitucional da moralidade na administração pública. É uma dessas aberrações jurídicas que só acontecem nas cidades pequenas do Brasil.

Até quando a raposa vai continuar cuidando do galinheiro?

Com a palavra o Tribunal de Justiça da Paraíba.

Após retorno do prefeito ex-presidiário, lixo toma conta das ruas de Bayeux

O poder judiciário precisa agir rapidamente e expurgar o prefeito ex-presidiário Berg Lima da prefeitura de Bayeux. Além da imoralidade em manter um sujeito que foi preso em flagrante ao receber propina de um fornecedor, a incompetência de Berg tem piorado a situação da cidade, que já não era boa.

O lixo se espalha pela cidade, e a população que praticamente não tem sistema público de saúde, fica mais exposta à doenças e insetos.

Bayeux está entregue às baratas, literalmente, e o judiciário precisar agir para, no mínimo, moralizar a administração pública, pois a cidade não aceita ser administrada por um ladrão que passou quase seis meses na cadeia.

O prefeito ex-presidiário não é o único responsável pelos caos em Bayeux; vereador Jefferson Kita também tem culpa

A população de Bayeux precisa entender os motivos da crise política que a cidade vive. Todos sabem que Berg Lima foi preso em flagrante ao cobrar propina de um fornecedor da prefeitura. A justiça cumpriu com seu papel, o Gaeco também. Faltava apenas a cassação na Câmara Municipal para a população de Bayeux se livrar da maior fraude política da história.

Mas o vereador Jeferson Kita, PSB, presidente da Comissão, decidiu pela inocência de Berg e arquivamento do processo. E ainda articulou com mais 9 vereadores a absolvição de Berg na votação do relatório que o inocentava de um crime incontestável que virou manchete nacional.

Depois de Berg Lima, o vereador Jeferson Kita é o principal responsável pelo caos que tomou conta de Bayeux. É cumplice de todo o sofrimento que a população e o funcionalismo vêm passando desde a prisão do prefeito-presidiário.

Mas em 2020 a população dará o troco…

Com medo da população, prefeito ex-presidiário de Bayeux não despacha mais na prefeitura

O prefeito de Bayeux, Berg Lima, preso em flagrante, em 2017, ao receber propina de um fornecedor, não tem despachado na prefeitura da cidade. Berg está fugindo da população, que tem cobrado soluções para o caos gerado pelo prefeito que prometeu uma revolução administrativa e moral na eleição de 2016.

Berg também está fugindo dos servidores, que estão há três meses sem receber salário. Muitos, inclusive, passando fome e pedindo ajuda para sobreviver.

Mas o caos de Bayeux não é culpa exclusiva de Berg Lima. Os vereadores que em duas oportunidades rejeitaram a cassação do presidiário são cúmplices e a população precisa “dar o troco” nas eleições de 2020.