PODE ISSO, ARNALDO? Mesmo sem mandato, Lindolfo Pires continua usando veículo da Assembleia Legislativa

O ex-deputado estadual Lindolfo Pires está sendo acusado de continuar usando o veículo da Assembleia Legislativa. A denúncia foi feita nesta sexta, 12, no radiofônico Correio Debate. Segundo os radialistas, Lindolfo foi flagrado utilizando o veículo, um Jeep Renegade, na última quinta-feira, 11, em João Pessoa.

Em nota, a Assembléia Legislativa da Paraíba esclareceu que o Setor de Transporte da Casa comunicou a todos os deputados que não lograram êxito nas últimas eleições que devolvessem os veículos que são locados para uso dos parlamentares.

Apenas o ex-deputado estadual Lindolfo Pires não atendeu ao pedido, justificando que estava na iminência de assumir o cargo devido a uma articulação política. Nesse período, todos os custos com abastecimento e manutenção ficaram por conta do ex-deputado, assim como a despesa com a locação do referido veículo, sem deixar prejuízo para o Poder Legislativo.

O Ministério Público precisa cobrar explicações do presidente da Assembleia e do responsável pelo setor, pois é inadmissível que um cidadão que não é mais parlamentar continue usando um bem público porque “está na iminência de assumir o cargo devido a uma articulação política“, como diz a nota. Parece até uma piada, mas não é.

Um privilégio injustificável até mesmo para quem tem mandato, pois os deputados ganham bem até demais e podem pagar o transporte com o dinheiro do próprio bolso.

A nota da ALPB tenta minimizar a ilegalidade, afirmando que Lindolfo Pires tem arcado com os custos de manutenção e locação. Mas se o carro foi locado pela Assembleia para uso dos deputados, porque alguém que não é mais deputado pode continuar usando o veículo?

Será que o ex-deputado não possui carro próprio? Lindolfo não poderia ter locado pessoalmente o seu próprio carro para uso pessoal nas inúmeras locadoras da Paraíba? Ou se trata de uma nova modalidade desconhecida do mercado, onde o poder público aluga veículos e depois repassa para particulares?

A resposta todos nós já sabemos; trata-se do bom e velho – e imoral – privilégio do Estado brasileiro. Mas desta vez com requintes de ilegalidade.

Com a palavra o Ministério Público…

 

 

 

Lucélio Cartaxo promete acabar com a mordomia na Granja Santana e transformá-la em Parque Jardim e Museu da Inovação

O pré-candidato a governador pelo PV, Lucélio Cartaxo, utilizou as redes sociais neste sábado (02/06) para lançar duas novas propostas que irão integrar o seu Programa do Governo. Em mensagem de vídeo, Cartaxo se propôs a transformar a Granja Santana, a residência oficial do governador da Paraíba, em um Parque Jardim e no Museu da Inovação, ambos abertos à população. “Um espaço como esse precisa ser de todos os paraibanos”, pontuou.

A área onde hoje funciona a Granja foi convertida na residência oficial ainda durante o período da Ditadura Militar, no final da década de 1960. “De lá para cá, muita coisa mudou. É por isso que nós queremos apresentar duas propostas: a primeira delas é fazer com que toda a área verde seja transformada em um Parque Jardim, com segurança 24h”, explicou. O novo equipamento será implantado com conexão para a Nova Beira Rio, com ciclovias e passeios públicos que ligam a Calçadinha da Orla ao Parque da Lagoa.

De acordo com o pré-candidato, a segunda ação será a implantação do Museu da Inovação, preservando a riqueza do patrimônio histórico da casa oficial, com espaços também dedicados às novas tecnologias. “Vamos apresentar serviços, informação na área de tecnologia, exposições e mostras culturais”, disse, acrescentando, em seguida, que pretende transformar a Granja numa “área onde todos os paraibanos terão acesso”.

Cartaxo afirmou que vai implantar as novas medidas com corte de gastos e equilíbrio de despesas. Os recursos atualmente empregados no custeio da Granja Santana, apenas na manutenção da residência oficial, serão destinados à implantação dos dois novos espaços públicos.

Nova Paraíba – O pré-candidato largou na frente e inovou ao criar um portal onde a população poderá contribuir com ideias e sugestões. No “Nova Paraíba”, será possível sugerir novas propostas ou a melhoria em programas e ações desenvolvidas pelo Governo. Para a Granja Santana, os internautas poderão enviar contribuições através do endereço www.novaparaiba.com/parquejardim.

REPUBLICANO DE ARAQUE: Ricardo Coutinho cria Guarda Pessoal para garantir segurança privada após deixar o governo

“Ser republicano é crer na igualdade civil de todos, sem distinção de qualquer natureza. É rejeitar hierarquias e privilégios… É saber que o Estado não é uma extensão da família, um clube de amigos, um grupo de companheiros… É repudiar práticas patrimonialistas, clientelistas, familistas, paternalistas, nepotistas, corporativistas”.

O texto acima é do historiador José Murilo de Carvalho e serve para mostrar aquilo que o governador Ricardo Coutinho nunca foi: um republicano. Ricardo é mais um político esperto que há quase 30 anos vive da política e dela se aproveita para viver uma vida de privilégios enquanto encena o personagem do antipolítico.

O governador da Paraíba ficou conhecido em rede nacional por gastar milhões de reais na compra de lagostas, sais de banhos, papel higiênico de luxo e outros mimos desnecessários. Tudo pago com o dinheiro público numa mansão (Granja Santana) incompatível com os novos tempos. E tudo sob uma retórica republicana falaciosa.

A criação da guarda pessoal para “proteger” Ricardo Coutinho da violência que ele mesmo alimentou em oito anos é um verdadeiro tapa na cara de uma sociedade que se revolta com os privilégios da classe política. De acordo com a lei criada pelo babão oficial do governador, deputado Hervázio Bezerra, a “segurança particular” de Ricardo será feita por um oficial da Polícia Militar e mais dos PMs durante quatro anos. Ou seja, além de diminuir o efetivo da PM de 9.793 para 8.993, RC vai desfalcar ainda mais:

Ricardo Coutinho não aceita ser um mortal qualquer, igual todos os paraibanos que trabalham diariamente e sustentam o Estado. Ele acredita que é superior. Uma espécie de Rei vivendo numa República.

É a República “Socialista” do Rei Ricardo Coutinho.