Romero “bate pino” e escolhe Ruy Carneiro como bode expiatório

Pegou mal a declaração do prefeito Romero Rodrigues culpando o presidente do PSDB, Ruy Carneiro, pela sua homérica “batida de pino”, como se diz popularmente. Segundo Romero, “Ruy Carneiro colocava minha esposa como vice todos os dias, eu me colocava como candidato a governador. De certa forma, as articulações de Ruy trouxeram certo desconforto para minha pré-candidatura nesse período”.

Se o critério adotado pelo bloco da oposição era o da intenção de voto nas pesquisas quantitativas, não era segredo para ninguém que Luciano Cartaxo liderava todas, e com folga. Logo, o natural seria a composição com Romero Rodrigues indicando um nome para a vice. Ou ele tentaria inverter o critério?

Mas como desculpa de amarelo é comer barro, Romero escolheu Ruy Carneiro como bode expiatório e tenta se eximir da culpa de ter sido o primeiro – antes mesmo de Maranhão – a trincar a unidade das oposições, culminando com a desistência de Luciano Cartaxo e fortalecimento da candidatura de João Azevedo.

Se Romero realmente tivesse vontade de disputar o governo, teria confirmado a intenção no mesmo dia que Cartaxo teve a coragem de renunciar a disputa, mas preferiu se esconder no silêncio.

A verdade é que Romero nunca quis ser candidato e prestou um desserviço à unidade que o senador Cássio Cunha Lima tenta construir desde 2016, inclusive com o sacrifício de Ruy Carneiro; que abriu mão da vaga de vice na chapa de Luciano Cartaxo para agregar Manoel Júnior e o PMDB.

A história não perdoa os covardes…

Romero Rodrigues pode indicar Pedro Cunha Lima na vice de Cartaxo para afastá-lo da sucessão de Campina em 2020

Em breve o grupo Cunha Lima vai conviver com uma disputa interna pela sucessão da prefeitura de Campina Grande. Fato bastante incomum, já que na recente história política paraibana o grupo tem se mostrado bastante coeso e vacinado contra os tradicionais ‘rachas’ que já afetaram PSB, PMDB e PT.

Romero Rodrigues vai querer eleger um sucessor da sua cozinha para continuar exercendo influência na prefeitura de Campina – provavelmente Tovar ou Ludgério. E Cássio vai querer eleger Pedro para que o filho trilhe o mesmo caminho que o levou ao Palácio; deputado federal, prefeito de Campina… e assim por diante.

Se antevendo ao cenário, Romero Rodrigues poderá abrir mão da indicação da esposa na vice de Cartaxo e empurrar Pedro Cunha Lima, que certamente agregaria bem mais que a primeira-dama de Campina, em votos.

Assim Romero ganha um álibi para não apoiar Pedro na sua sucessão e abrir caminho para Tovar ou Ludgério. Se o partido tem outros bons nomes e pode somar, porque renunciaria a vice-governadoria da Paraíba?

De besta Romero só tem a cara…

Em Piancó, Romero estreita laços políticos com outros prefeitos da região e continua interiorizando seu nome

Durante sua permanência no município de Piancó, no Sertão, nesta terça-feira, 13, o prefeito Romero Rodrigues teve a oportunidade de estreitar laços políticos com colegas da região do Vale. Recebido pelo anfitrião Daniel Galdino e a mãe, ex-prefeita Flávia Galdino, Romero não só prestigiou a tradicional missa em celebração a Santo Antônio, padroeiro da cidade, como concedeu entrevista com outras lideranças políticas e participou de almoço que reuniu várias autoridades.

Entre os prefeitos com quem manteve contato e conversou sobre gestão e panorama político do próximo ano, além de Daniela Galdino, Romero Rodrigues se encontrou com Zé Leite (São José de Caiana), Genoilton João de Carvalho Almeida (Olho D´água), Dedé (Santana dos Garrotes), Nilson Lacerda (Conceição) e Segundo Madruga (Emas). Dezenas de vereadores, ex-prefeitos e lideranças diversas também cumprimentaram o prefeito tucano de Campina Grande na residência de Galdino.

Romero esteve acompanhado na visita pelo deputado federal Rômulo Gouveia (PSD) e o deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB), ambos aliados. Na missa, assitiu a toda celebração na companhia do senador Raimundo Lira (PMDB).

Para Romero Rodrigues, foi extremamente importante o encontro mantido com colegas e lideranças do Vale do Piancó, principalmente pela oportunidade de estreitar laços e trocar experiências com homens e mulheres públicos experientes, além de ter a chance de detalhar os avanços administrativos da atual gestão municipal de Campina Grande.