Ruy Carneiro cobra isenção e auxílio para taxista e transporte escolar em João Pessoa e outras prefeituras

A grave crise em decorrência do novo coronavírus tem assolado a renda de diversas famílias. Em João Pessoa, e nas demais cidades da Paraíba, não é diferente. E uma das categorias profissionais mais prejudicadas tem sido a do transporte. Para amenizar os custos que os trabalhadores continuam tendo mesmo sem uma renda garantida, o deputado federal Ruy Carneiro propôs nesta quarta-feira (17), à prefeitura da Capital e de outros municípios paraibanos que isentem a categoria dos impostos locais.

Segundo Ruy Carneiro, Campina Grande fez o que ele vem defendendo desde o início do isolamento social: temporariamente isentar as taxas das categorias que estão sem poder trabalhar. ”Está de parabéns o prefeito Romero que vai isentar o transporte escolar, taxistas e mototaxistas e ainda conceder cestas básicas. É uma questão de sensibilidade política que o gestor público precisa ter neste momento de pandemia. Muitas famílias estão passando sufoco. E é preciso estar ao lado de quem mais necessita“, enfatizou Ruy Carneiro.

A demora da prefeitura de João Pessoa em definir medida de auxílio à economia foi o que motivou o protesto dos transportes escolares contra o prefeito, na manhã desta quarta, segundo Ruy Carneiro. “Este exemplo de Campina poderia ser seguido em João Pessoa e por todo o estado. É preciso agir, sair da zona de conforto para cuidar das pessoas”, afirmou o deputado.

E completou ainda: “Se Campina Grande pode conceder isenção das taxas municipais a taxistas, mototaxistas e transporte escolar, por que João Pessoa e todas as cidades também não pode? O povo tem pressa”.

ELEIÇÕES 2020: Anísio Maia pode ser vice do PV em ampla aliança com o campo progressista em JP

A atual conjuntura da política nacional terá reflexo nas alianças municipais. Em João Pessoa, por exemplo, já há uma movimentação para unir partidos do campo progressista em torno de um nome que bata de frente com candidatos conservadores, como Nilvan Ferreira, Wallber Virgolino, Cícero Lucena e Julian Lemos.

Até onde o blog apurou, o prefeito Luciano Cartaxo ficou animado com a pré-candidatura do deputado estadual Anísio Maia, que isolou ainda mais o ex-presidiário Ricardo Coutinho. Ou seja, não é improvável uma aliança entre PV e PT, certamente com Anísio Maia na vice do sucessor (ou sucessora) de Cartaxo.

O campo progressista poderia unir ainda PDT, Rede e PCdoB, três partidos da linha de frente contra a escalada fascista do bolsonarismo.

Anísio e Cartaxo sempre mantiveram uma relação amistosa, mesmo após a desfiliação do PT, em 2015. O Partido dos Trabalhadores pode oferecer aquilo que o prefeito não tem hoje, tempo de TV na propaganda eleitoral, uma vez que o PV é quase um nanico.

A eleição de 2020 promete ter uma carga ideológica muito forte, e uma aliança entre partidos do campo progressista faria diferença em qualquer capital nordestina.

Em breve Luciano Cartaxo estará tocando a campainha da casa de Anísio Maia. Mas antes o PV precisa apresentar o seu pré-candidato para começar a mexer as peças do tabuleiro da política.

Pedro Cunha Lima segue no mesmo erro do pai

ELEIÇÕES 2020: Julian Lemos conversa com Avante de Genival Matias sobre aliança em JP

Deputado federal mais votado de João Pessoa, Julian Lemos deve mesmo acatar a missão da executiva nacional do PSL e disputar a prefeitura. Lemos foi procurado esta semana pelo Avante, partido comandado pelo deputado estadual Genival Matias. Ambos conversaram sobre a eleição em João Pessoa e marcaram uma próxima reunião para tratar da aliança.

A CHARGE DO DIA – Marcelo Monteiro, o prefeito ostentação de Lucena

A charge do dia é sobre Marcelo Monteiro, o prefeito da pequenina e sofrida Lucena, que gosta de andar de carro de luxo, mas quem paga a conta é o povo. Marcelo já gastou R$ 320 mil com o aluguel de um Jeep Compass e uma Amarok, de acordo com os dados do TCE.

Prefeito ostentação de Lucena já gastou R$ 320 mil com aluguéis de carros de luxo; valor daria pra comprar 10 veículos populares

Com apenas 13 mil apoiadores, Aliança pelo Brasil não decola e pode chegar em 2022 sem registro

Com integrantes na mira da PF e do STF, a Aliança pelo Brasil não decolou. De acordo com o TSE, o partido de Jair Bolsonaro soma apenas 13.550 assinaturas válidas para a sua criação, informa André Spigariol na Crusoé. Os bolsonaristas têm mais um ano para coletar ao menos 500 mil assinaturas válidas.

É bem provável que Bolsonaro chegue em 2022 sem partido. Mas é mais provável ainda que até lá ele não seja mais presidente.

 

Confira a decisão cautelar que bloqueou os bens do ex-presidiário Ricardo Coutinho; MP tenta recuperar quase 7 milhões

A pedido do Ministério Público e da força-tarefa da Operação Calvário, o juiz José Guedes Cavalcanti Neto, da 3° Vara Criminal acaba de bloquear os bens do ex-governador Ricardo Coutinho, preso na Operação Calvário. De acordo com as investigações, RC desviou quase R$ 7 milhões apenas num contrato da Cruz Vermelha com o hospital de Trauma:

Confira a decisão: Cautelar MP

 

 

EXCLUSIVO: Justiça bloqueia os bens de Ricardo Coutinho e mais 8 na Operação Calvário

A pedido do Ministério Público e da força-tarefa da Operação Calvário, o juiz José Guedes Cavalcanti Neto, da 3° Vara Criminal acaba de bloquear os bens do ex-governador Ricardo Coutinho, Waldson Dias de Sousa, Ney Róbinson Suassuna, Aracilba Alves da Rocha, Fabrício Paranhos Langaro Suassuna, Edmon Gomes da Silva Filho, Saulo de Avelar Esteves, Gilberto Carneiro da Gama e Sidney da Silva Schmid, afirmando, em resumo, que os imputados fazem parte de uma organização criminosa responsável pela prática de crimes contra a Administração Pública, causando prejuízo financeiro à Fazenda Pública Estadual:

Diante do exposto, DEFIRO o pleito Ministerial de sequestro dos valores pecuniários existentes em contas bancárias dos representados, através do sistema BACEN-JUD, até o limite referenciado na tabela acima, para cada representado. Alternativamente, na hipótese de não ser encontrado valores nas contas bancárias, proceda-se o bloqueio de veículos registrados em nome dos representados via RENAJUD e, sendo infrutífera a ação, proceda-se o sequestro de bens imóveis registrados em nome dos imputados, também nos limites dos valores indicados na tabela supra, nos termos formulados na cautelar, com fundamento no art. 37, § 4o da Constituição Federal; artigos 1o, 2o e 3o do Decreto Lei n. 3.240/41; art. 5o, 6o, 7o, 9o, 10o, 11o, 12o da Lei 8.429/92; art. 125, 126 e 127 do Código de Processo Penal e art. 91, §§ 1o e 2o do Código Penal.

Confira a decisão: Cautelar MP

ELEIÇÕES 2020: Anísio Maia pode ser vice do PV em ampla aliança com o campo progressista em JP