Julian Lemos garante armamento utilizado pelo FBI para as policias da Paraíba

Podemos até discordar do deputado federal Julian Lemos no campo ideológico – característica forte do seu mandato – mas é impossível não reconhecer que o deputado tem trabalhado bastante em prol da segurança pública da Paraíba, mesmo sendo oposição ao governador João Azevedo.

Julian Lemos já destinou através de emendas parlamentares mais de R$ 25 milhões para investimento em Segurança, podendo chegar a R$ 70 milhões nos próximos dois anos. Com estes recursos, mais de 9500 pistolas Glock, 450 fuzis, 60 viaturas blindadas, teasers, coletes a prova de bala, e muitos outros investimentos poderão ser feitos pelo Governo da Paraíba. Alguns desses armamentos são os mesmos utilizados pelo FBI, a polícia americana.

A atuação a favor dos policiais civis e militares garantiu uma marca a Julian Lemos; o federal da segurança pública. Se realmente o deputado sair candidato a prefeito de João Pessoa, terá um portfólio interessante para apresentar à sociedade.

Patrimônio oficial de Ricardo Coutinho supera 6 milhões de reais e cresceu 650% enquanto governador

EXCLUSIVO: Ex-presidiário Berg Lima teria pedido R$ 50 mil por mês para renunciar ao mandato e forçar eleição indireta na Câmara

Um vereador de Bayeux revelou ao blog que o ex-presidiário Berg Lima continua tramando contra a cidade. De acordo com o parlamentar, Berg teria solicitado a um grupo de vereadores a garantia de R$ 50 mil por mês através de cargos e uma mesada para renunciar o mandato e forçar uma eleição indireta na Câmara.

A ideia seria derrubar o prefeito interino Jefferson Kita e eleger a vereadora França numa eleição indireta. Várias reuniões já foram realizadas com Berg e mais 7 parlamentares. A informação faz muito sentido, principalmente porque a vereadora França requentou nesta quarta, 08, uma denúncia sem pé nem cabeça contra Kita, na Câmara Municipal, para afastá-lo.

O Gaeco já foi informado da negociação para a renúncia de Berg e nos próximos dias vai ter vereador [e vereadora] vendo o sol nascer quadrado…

Berg Lima continua manipulando a política em Bayeux e manda vereadora França apresentar denúncia contra prefeito interino

ÁUDIO: Vereadora França come corda de Berg Lima e é desmoralizada no programa Correio Debate

Manipulada pelo ex-presidiário Berg Lima, a vereadora França foi desmoralizada no programa Correio Debate, que abordou nesta quarta, 08, a denúncia requentada pela parlamentar contra o prefeito interino Jefferson Kita.

França achou que estava abafando, mas não imaginava ela que o tiro sairia pela culatra. Despreparada até para comentar os seus próprios atos, França sequer atendeu a reportagem da rádio Correio. É por isso que dizem, prego que se destaca leva martelada na cabeça:

 

 

Ruy lança proposta do Invest João Pessoa para modernizar economia da Capital

João Pessoa precisa de um plano para recuperar sua economia e retomar o crescimento depois da pandemia. Focado nesta meta, o deputado federal Ruy Carneiro lançou a proposta do Invest João Pessoa, uma agência dedicada a atrair investimentos nacionais e estrangeiros, a estimular o empreendedorismo, impulsionar startups e promover o desenvolvimento da cidade, ajudando a recuperar empregos e oportunidades perdidos durante nesta crise.

A proposta do Invest João Pessoa é abrir a cidade ao futuro, atrair talentos e investidores. “Queremos organizar e promover de maneira inovadora as vantagens comparativas que João Pessoa tem. Há muitos diferenciais competitivos e condições favoráveis que fazem da nossa cidade um bom lugar para investir e, principalmente, viver”, afirma Ruy.

O Invest João Pessoa será uma instância híbrida, de organização público-privada, explica o deputado Ruy, unindo associações empresariais, e reunindo talentos na promoção de negócios. “É fundamental desenvolver um ambiente em que os empreendedores locais tenham interesse em investir na cidade. Nosso objetivo com o Invest João Pessoa é este: oferecer condições aos empreendedores e talentos interessados em se instalar em João Pessoa”, explica. “Nós podemos avançar garantindo a promoção necessária, a presença em feiras, parcerias com câmaras de comércio, apoio a investidores, apoio a projetos para dinamizar a economia local, sendo ainda um polo educacional, científico e tecnológico”, detalhou o deputado.

O Projeto, explica Ruy Carneiro, tem ainda outras duas abordagens. A primeira é a construção de uma estratégia de marketing para a cidade de João Pessoa. “Precisamos falar ao mundo sobre como é bom viver e produzir aqui. Quem vem, não tem dúvidas. Mas é preciso informar, de maneira estratégica e buscando as melhores oportunidades”, detalha.

O outro aspecto ainda a ser trabalhado é o incentivo às startups, defende Ruy: “Outras capitais do país e do mundo já criaram ambientes favoráveis aos novos negócios. Seja dedicando regiões da cidade, estruturas, linhas de financiamento público, estímulo à educação e pesquisa, entre outras iniciativas. Recife, aqui do lado, é um bom exemplo com seu Porto Digital. Não precisa querer inventar a pólvora. É assim que faremos, do jeito certo e em menos tempo”.

Ruy relatou ainda que Lisboa, a capital portuguesa, foi um dos modelos de gestão que inspiraram esta proposta que está sendo apresentada à João Pessoa. “Com as adaptações à realidade local, é possível buscar ideias novas. É preciso conhecer as melhores experiências, ouvir os especialistas e buscar as melhores oportunidades para fazermos, todos juntos, uma cidade melhor para viver”, acredita.

Efraim quer usar máquinas de cartão para redirecionar recursos emergenciais a empresários

Depois que o programa do governo federal para financiar a folha de pagamento não teve a adesão esperada dos empresários, parte dos recursos deve ser redirecionada a uma nova linha de crédito que usa maquininha de cartão. A solução para destravar a ajuda a pequenos e médios negócios foi anunciada pelo deputado Efraim Filho, relator da MP 975 na Câmara. Segundo o parlamentar, a oferta de crédito diretamente no aparelho utilizado pelo empresário vai funcionar como um empréstimo lastreado nos rendimentos futuros. Atualmente, para que um ativo seja aceito em empréstimo é preciso que se apresente uma garantia de valor. Essa garantia é chamada de lastro.

“A ideia é que chegue uma mensagem na maquininha do empresário dizendo ‘empreendedor, você tem um limite X de crédito, com tal taxa de juros e tal prazo. Para aceitar clique 1, para não aceitar clique 2’. Se ele aceita, já estará disponibilizado, com a garantia sendo o próprio faturamento que virá”, esclarece. A saída encontrada é uma forma de corrigir os erros na concepção do Programa Emergencial de Suporte a Empregos (PESE), criado pela MP 944.

Efraim Filho lembra que R$ 40 bilhões estão parados e precisam chegar “na ponta da linha”. O parlamentar deixa claro que o redirecionamento dos recursos, proposto em seu parecer da MP 975, não altera a vigência da outra norma editada pelo governo federal.

O texto do relator também prevê mudanças no Programa Emergencial de Acesso a Crédito (PEAC), ampliando a garantia da União. A redação original estabelecia repasse público de R$ 20 bilhões para o Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), pelo qual o governo assumiria 30% do risco. Agora, essa participação federal será de 80%, com stop loss de 20% a 30% (mecanismo que limita potenciais perdas).

A proposta do parlamentar é que a taxa de juros seja de 1% ao mês e o prazo de carência para pagar a primeira parcela seja de seis a 12 meses. “Hoje, os programas preveem prazos muito apertados para empresas, especialmente as de pequeno porte, que estão com as portas fechadas. Não adianta ter acesso a empréstimos se não tiver prazo de carência. Não adianta pegar crédito para começar a pagar a partir do mês do que vem. No contexto da pandemia, o empreendedor não consegue fazer isso”, argumenta Efraim Filho.

Na ótica do advogado e professor de direito constitucional André Lopes, as mudanças na MP 975 atendem a reivindicações do setor produtivo, que em um primeiro momento enfrentou dificuldade para resgatar o crédito nas instituições financeiras.

“Com o acesso mais amplo oportunizado pela medida provisória, já que ela também coloca a União como garantidora desse crédito, é de se imaginar que o acesso seja mais amplo, oportunizando maior dinâmica de mercado, o aquecimento da economia, contratação de trabalhadores, diminuindo o problema que hoje é experimentado por conta da pandemia”, contextualiza.

Os empréstimos do Programa Emergencial de Acesso a Crédito são voltados a empresas que tiveram faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões em 2019. No total, os empreendimentos que estão dentro desse recorte empregam, juntos, mais de três milhões de trabalhadores. A expectativa do deputado Efraim Filho é que seu relatório possa ser votado ainda nesta semana, na Câmara.

Assista:

Patrimônio oficial de Ricardo Coutinho supera 6 milhões de reais e cresceu 650% enquanto governador

Berg Lima continua manipulando a política em Bayeux e manda vereadora França apresentar denúncia contra prefeito interino

Sob o comando do ex-presidiário Berg Lima, a vereadora França protocolou uma denúncia sem pé nem cabeça na Câmara Municipal contra o então presidente da Casa e atual prefeito interino de Bayeux, Jefferson Kita. França é da tropa de choque de Berg e sempre votou contra a sua cassação.

Certamente a vereadora está com saudade do tempo das vacas gordas, quando praticamente toda a sua família estava empregada na prefeitura. Inclusive seu marido, Filemon Sena, ex-diretor do DMTRAN que atestou a compra de cones de sinalização com sobrepreço de mínimo 100%.

Responsável pela maior instabilidade política da história de Bayeux, Berg Lima é uma espécie de câncer e continua manipulando para prejudicar a cidade.

Ao contribuir para o agravamento da instabilidade política de Bayeux –  que já está no quarto prefeito – a vereadora manipulada por Berg Lima mostra mais uma vez que só pensa no seu bolso e está pouco se lixando para a cidade.

Mas a derrota nas urnas será a resposta do povo.

Patrimônio oficial de Ricardo Coutinho supera 6 milhões de reais e cresceu 650% enquanto governador