Governo apaga vídeo de Bolsonaro comendo feito um porco

As imagens de Jair Bolsonaro comendo frango com a mão e jogando farofa no chão, divulgadas pelo governo federal para tentar transmitir a imagem de um “homem do povo”, pegaram tão mal, levando até a hashtag “BolsonaroPorco” ao topo do twitter, que acabaram sendo apagadas, após a péssima repercussão nas redes sociais. O plano era tentar reduzir o impacto de que o governo Bolsonaro gasta mais de R$ 30 milhões por ano com o cartão corporativo da presidência da República. Confira algumas repercussões sobre a farofada fracassada de Bolsonaro:

Quem vai decidir os rumos do União Brasil na Paraíba; Julian ou Efraim?

Com a fusão do DEM com o PSL e a criação do União Brasil, o partido na Paraíba conta agora com dois caciques: Efraim Filho e Julian Lemos, ambos deputados federais, mas com objetivos diferentes. Julian busca a reeleição, já Efraim quer dar um passo a mais na carreira política e conquistar um mandato de senador.

Em tese, ambos são aliados do governador João Azevedo, porém, Efraim Filho já disse que será candidato em qualquer circunstância, ou seja, em qualquer chapa. Se ambos convergirem na aliança, tudo bem. Mas, se houver divergência, quem vai resolver o impasse?

Com o maior tempo de TV e fundo eleitoral, o União Brasil está sendo cobiçado por muitos candidatos ao governo…

 

Ruy Carneiro quer apoio de parlamentares para votar o fim do pagamento de pensão vitalícia a ex-governadores

O deputado federal Ruy Carneiro vai intensificar no Congresso Nacional  a luta contra privilégios, convocando deputados federais a votar pautas como a proposta que impede o pagamento de aposentadoria vitalícia a prefeitos, governadores e presidentes da República. Trata-se da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 85/2011 e da e 269/2013 (apensada) que está parada na Câmara desde 2019, depois que foi aprovada  na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Ruy Carneiro aponta decisões recentes da justiça que entenderam que o  pagamento contraria o artigo 39, parágrafo 4º, da Constituição Federal, que contém os princípios norteadores da administração pública: igualdade, impessoalidade, moralidade e responsabilidade dos gastos públicos (eficiência). Para o parlamentar está mais do que na hora do Congresso levantar essa pauta e corrigir esse equívoco que traz prejuízos e desigualdades ao país.

“Lutarei para o Congresso priorizar a PEC da qual sou um dos autores  que acaba definitivamente com as pensões e aposentadorias vitalícias. Esse tipo de privilégio que é uma vergonha para o nosso país. O Brasil  ainda gasta cerca de R$ 30 milhões com esse pagamento vergonhoso a prefeitos, governadores e presidentes da República”, explicou.

Se aprovada pela comissão especial – a ser instalada pelo presidente da Câmara Arthur Lira (PP-AL) –, a matéria deve ser votada em dois turnos pelo Plenário para ser enviada ao Senado Federal.

Ruy ainda ressalta que a iniciativa está de acordo com a jurisprudência atual do Supremo Tribunal Federal (STF) a partir do julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade – ADI 3.853-2/MS.  “Essa jurisprudência embasou decisão  recente e acertada da Ministra do STF, Rosa Weber,  devido à possibilidade de grave lesão à ordem pública e ao erário. Isso foi suficiente para suspender decisões do Tribunal de Justiça do Maranhão, que ainda mantinham o pagamento dos benefícios no estado”, explicou.

Na Paraíba, o juiz da 3ª vara da Fazenda Pública da capital, Antônio Carneiro de Paiva Júnior, suspendeu a concessão de pensão especial vitalícia aos ex-governadores da Paraíba, no valor de R$ 23,5 mil. O magistrado considerou que uma emenda constitucional de 2006 seria inconstitucional e apontou que a medida visa proteger o erário público “considerando-se a situação de pandemia global, na qual todo e qualquer gasto indevido pode prejudicar as fontes de investimento na rede de saúde publica”, afirma na decisão.