Ministro do STJ que soltou Ricardo Coutinho teria sido delatado por Sérgio Cabral

Segundo a revista Crusoé, uma parte dos relatos de Sérgio Cabral revela que ele enredou dois ministros do STJ: Napoleão Nunes Maia e Humberto Martins.

Com base no que diz ter ouvido de Orlando Diniz, Sérgio Cabral afirmou que a contratação do escritório do filho de Humberto Martins teria por finalidade obter uma decisão favorável de Napoleão Nunes Maia Filho.

Napoleão Nunes foi responsável pela estranha liminar que tirou Ricardo Coutinho da cadeia um dia após a sua prisão. O ministro também foi relator de uma ação no TSE que livrou RC da cassação.

PGR nomeia seis procuradores para o Gaeco do MPF na Paraíba

Depois de aprovado no início deste mês pelo Conselho Superior do Ministério Público Federal, o procurador-geral da República Augusto Aras nomeou, nesta quarta-feira (12), seis procuradores para atuar no Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPF na Paraíba. Trata-se de Tiago Misael (coordenador, que atua na região de Patos-PB), Victor Veggi e Antônio Edílio Magalhães (que atuam na região da capital João Pessoa), além de Bruno Barros e Bruno Galvão (Campina Grande-PB) e João Raphael (de Guarabira-PB).

Dentre as atribuições do Gaeco-MPF/PB, está o de prestar auxílio aos procuradores naturais na investigação e persecução de crimes praticados por organizações criminosas e na eventual repercussão civil na improbidade administrativa desses crimes; atuar nos casos em que o procurador-geral da República determinar a intervenção, em virtude de incidente de segurança envolvendo membros ou servidores; e proceder à coleta e análise de informações de inteligência.

Segundo o coordenador Tiago Misael, “a criação do Gaeco-MPF/PB vem ao encontro da aspiração de diversos procuradores da República que crescentemente se ressentem de uma atuação integrada e coordenada na investigação e persecução penal da criminalidade organizada que, não raras vezes, renova-se em esquemas cada vez mais sofisticados”.

“Atuando de forma isolada, em ilhas de investigação e persecução, cada procurador da República somente possui conhecimento sobre os fatos que existem no seu âmbito de atribuição, nunca acessando o panorama completo e, às vezes, contentando-se com sucessos parciais que somente atingem os níveis mais baixos da hierarquia criminosa. Atuando dessa forma, o MPF dificilmente chegará ao topo das organizações e estará, apenas parcialmente, cumprindo sua missão constitucional”, destacou Tiago Misael.

“No caso particular da Paraíba, tem-se assistido, há mais de uma década, a sucessão de casos de corrupção atrelados a esquemas muito bem organizados de criminalidade do colarinho branco”, acrescentou o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPF na Paraíba.

Primeira reunião – A primeira reunião do Gaeco-MPF/PB será realizada nesta sexta-feira (14) na sede do MPF em João Pessoa. O encontro servirá para os seis procuradores nomeados traçarem metas e planejarem a atuação do grupo para os próximos dois anos. Além da Paraíba, outra unidade do MPF que possui Gaeco é Minas Gerais.

Daniela Bandeira se filia ao PV e confirma especulação sobre disputa pela PMJP

O Polítika foi o primeiro a informar que a secretária de Planejamento de João Pessoa, Daniela Bandeira, seria a candidata de Luciano Cartaxo. O gesto de filiação ao PV reforça ainda mais a especulação em torno da secretária, que deve mesmo ser confirmada como a sucessora de Cartaxo.

O prefeito precisa de um nome limpo e sem rejeição para consolidar uma candidatura que possa dar continuidade à gestão. Um nome que seja capaz de manter o debate eleitoral nas ações da prefeitura, sem se desviar do foco da gestão.

PV anuncia filiação de 200 pessoas e reforça presença na capital paraibana

Depois de decidir pela candidatura própria na capital paraibana, definida em encontro realizado em janeiro deste ano, o Partido Verde (PV) anunciou, nesta sexta-feira (14), a filiação de 200 nomes, reforçando ainda mais a presença em João Pessoa. Dentre os novos quadros, estão as secretárias municipais Daniela Bandeira (Planejamento) e Socorro Gadelha (Habitação). As filiações fazem parte do planejamento do partido para as eleições deste ano e será tema de encontro da sigla previsto para ocorrer depois do período de Carnaval.

O partido também informou que dará sequência ao diálogo com as siglas que integram a base de apoio em João Pessoa. Presidente estadual do PV, o prefeito Luciano Cartaxo, disse que o reforço dos novos filiados é mais um importante passo para o processo eleitoral que se aproxima. “Os novos integrantes do PV estão alinhados com o modelo de gestão implementado na Capital, participando de forma direta dos resultados alcançados. Daniela e Socorro têm vasta experiência, cumprindo papéis decisivos em todas as esferas da administração pública”, afirmou.

O gestor também disse que o partido vai seguir o processo de discussão interna para a escolha do nome a disputar as eleições deste ano, cumprindo com uma decisão que acompanha a executiva nacional, que considera a capital paraibana como prioridade no país. “Mais do que um nome, vamos apresentar um caminho para João Pessoa seguir avançando. Nos últimos oito anos, a cidade tornou-se uma referência em gestão pública, reconhecida dentro e fora do Brasil, com um novo conjunto de praças e parques, ampliação da educação infantil e do ensino em tempo integral, o maior programa de habitação da história e a criação de uma nova rede de urgência e emergência. A hora é de seguir em frente”, apontou.

Léo Bandeira denuncia ‘farra de diárias’ em Lucena e diz que só o prefeito recebeu quase R$ 80 mil durante gestão

O pré-candidato a prefeito de Lucena, Léo Bandeira, denunciou o que considerou uma verdadeira farra das diárias em benefício do prefeito Marcelo Monteiro.

Segundo Léo, consta no sistema Sagres, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB), vários empenhos que totalizam mais de R$ 76 mil em pagamento de diárias para o gestor ao longo dos sete anos de administração.

Léo Bandeira criticou os gastos excessivos e cobrou uma apuração rigorosa para atestar a legalidade desses pagamentos. “Para a realidade de uma cidade como Lucena, onde temos muitos problemas a serem solucionados, é lamentável vermos um prefeito que ganha R$ 16 mil por mês receber todo esse dinheiro em diárias”, comentou.

Ele revelou que tem recebido denúncias dando conta do pagamento excessivo de diárias a outros agentes públicos da cidade e por isso está acionando o Ministério Público para investigar o caso. “Temos informações de que pessoas ligadas ao prefeito também estariam recebendo valores excessivos em diárias, por isso a nossa preocupação e pedido para que as autoridades tomem as devidas providências”, arrematou.

Família chegada a uma diária”

Léo também revelou que uma irmã do prefeito Marcelo Monteiro, a secretária Ana Maria Sales de Mendonça, também recebeu diárias da gestão municipal. Ele lembrou que até o final do ano passado, Ana Maria já embolsou mais de R$ 34 mil. “Está claro que essa gestão é chegada a uma diária, e lamentavelmente não vemos o resultado prático nas ruas de nossa cidade”, arrematou.

A reportagem tentou manter contato com o prefeito Marcelo e a secretária Ana Maria, mas até o fechamento desta matéria não obteve êxito.

Paraíba em Notícia

CARA DE PAU: Preso com dinheiro na cueca, Berg Lima diz que Bayeux vive um novo tempo e ganha memes nas redes

Preso em flagrante com dinheiro no cofrinho, Berg Lima não é apenas o prefeito mais corrupto e incompetente da história de Bayeux, é também o mais cara de pau.

Bayeux está atolada no caos com PSF’s fechados e demais equipamentos de saúde constantemente interditados. O lixo toma conta das ruas e a população sofre com a falta de medicamentos e insumos básicos. As obras de Berg Lima ficaram só na promessa. Aliás, prometer é o forte do ex-presidiário, foram mais de 220 promessas na eleição de 2016.

De concreto mesmo, só escândalos de corrupção, funcionários fantasmas, nepotismo, compra de vereador pra não ser cassado, licitação irregular, locação de carro fantasmas e diversos pedidos de afastamento por parte do Ministério Público.

Mas na mente doentia de Berg Lima, Bayeux vive um novo tempo. De tão ridícula, uma peça de propaganda do ex-presidiário acabou virando meme:

Coordenador das operações que prenderam Berg Lima e Ricardo Coutinho faz um desabafo: “Neste país só quem não pode pagar, fica preso”

O promotor Octávio Paulo Neto tem feito história à frente do GAECO, grupo do Ministério Público responsável por investigar e combater a corrupção. Nos últimos anos, sob seu comando, a sociedade começou a confiar novamente nas instituições que combatem a corrupção na Paraíba.

Coordenador de diversas operações, entre elas as que prenderam Berg Lima com dinheiro na cueca, e Ricardo Coutinho na operação Juízo Final, Octávio fez um desabafo nas redes sociais:

“Um retrato, recorte , sobre o labirintar lúdico processual… Neste país só quem não pode pagar, fica preso ….. Pior são os pseudos filosofos e suas alegorias narrativas que tentam justificar os maiores absurdos processuais sob a alegação do pleno exercício de um direito… como se não existisse direito a segurança… a vida … ao patrimônio e principalmente ao futuro… Enquanto isso a corrupção apodrece todos os alicerces de nosso país… consome nossa esperança…. Enquanto isso poucos se refestelam e gracejam”.

A indignação de Octávio Paulo Neto é mais do que justa, mas não é só dele, é de toda a população que não aguenta mais ver parte do judiciário enxugando gelo. Berg Lima, por exemplo, foi preso em flagrante com dinheiro na cueca e voltou para a prefeitura. E aí eu pergunto, cadê o princípio constitucional da moralidade administrativa? Porque um prefeito que foi preso com dinheiro na cueca não tem moral para continuar no cargo.

O caso do ex-governador Ricardo Coutinho é tão aberrante quanto. Acusado de comandar uma organização criminosa que roubou mais de R$ 130 milhões apenas da Saúde em 8 anos, RC não passou sequer dois dias preso, foi salvo por uma estranha liminar do ministro Napoelão Nunes, do STJ.

Por que um político que é considerado o chefe da ORCRIM, gravado cobrando propina, continua solto, e os demais membros da organização criminosa presos? Nada justifica. É apenas o Brasil sendo Brasil.

 

Júnior Araújo virou secretário, mas está queimado com o G11

O deputado estadual e agora secretário de Estado, Júnior Araújo, se queimou com o G11, grupo para-governista na Assembleia Legislativa.

Segundo alguns parlamentares, Júnior negociou sua secretaria com o governador sem dialogar antes com o G11. Ou seja, usou o nome do grupo para tirar vantagem pessoal.

Júnior está tão queimado que um deputado o chamou de traíra. E o sentimento no grupo é generalizado.

Após ataque do G11, Cidadania e API divulgam notas em apoio a Nonato Bandeira

A Executiva Municipal do Cidadania-JP divulgou nota de solidariedade ao Secretário de Comunicação Institucional do Governo do estado da Paraíba, jornalista Nonato Bandeira, alvo de “acusações levianas dos Deputados Estaduais do G11”, que emitiram nota acusando-o de financiar blogs e sites para atacar o grupo.

“O Cidadania-JP reconhece em Nonato um jornalista ético, gestor público de conduta ilibada e lúcido articulador político, sendo incapaz desse tipo de expediente”, diz trecho da nota assinada pelo vereador Bruno Farias, presidente da legenda em João Pessoa.

Leia abaixo a nota na íntegra

A Executiva Municipal do Cidadania-JP vem a público apresentar sua solidariedade política ao Secretário de Comunicação do Governo do Estado, Jornalista Nonato Bandeira, que foi alvo de acusações levianas dos Deputados Estaduais do G11, que emitiram nota, acusando-o de financiar blogs e sites para atacar o grupo e “de criar fake news, distorcendo a fala de alguns companheiros para causar discórdia”.

O Cidadania-JP reconhece em Nonato um jornalista ético, gestor público de conduta ilibada e lúcido articulador político, sendo incapaz desse tipo de expediente.

Nonato aprendeu, desde os bancos da faculdade, a ter uma postura ética no fazer jornalismo. Profissional do batente jornalístico, tendo trabalhado nas redações dos principais veículos de comunicação do Estado, Nonato sempre se destacou por seu compromisso com a verdade, tendo, em função dos inúmeros e relevantes serviços prestados ao longo de sua longeva e profícua trajetória profissional, sido eleito Presidente da API (Associação Paraibana de Imprensa) num dos momentos mais gloriosos e candentes dessa instituição histórica, que sempre defendeu a ética, a valorização dos profissionais da imprensa, as liberdades e a democracia. Agora, ocupando o cargo de Secretário de Comunicação, não seria ele, que já exerceu o jornalismo com tanta paixão, o incentivador de fake news ou factoides para macular a imagem de parlamentares da oposição ou situação.

O Partido recebe com surpresa e indignação essas acusações caluniosas contra Nonato, e tomará as medidas cabíveis para que a sua história não seja maculada, para que o seu caráter não seja conspurcado e para que a sua honra seja preservada.

Bruno Farias
Presidente Municipal do Cidadania-JP

Manifestação da API

A diretoria da Associação Paraibana de Imprensa (API) também divulgou nota de solidariedade para Nonato. Ele é jornalista e já presidiu a entidade.

Na nota, a API destaca o caráter profissional de Nonato e sua atuação importante nos diversos órgãos de imprensa da Paraíba.

Confira nota da API

A Diretoria da Associação Paraibana de Imprensa (API) vem de público prestar irrestrita solidariedade ao jornalista e ex-presidente desta entidade, Nonato Bandeira, pela forma grosseira e agressiva com que foi mencionado em uma Nota divulgada pelo denominado G11 da Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba.

Enquanto presidente da API e no exercício profissional com passagem em diversos órgãos da imprensa do Estado, Nonato Bandeira sempre pautou sua atuação com coerência, correção, profissionalismo e lealdade aos amigos e leitores, razão pela qual nos surpreende o seu fuzilamento público enquanto comandante da Comunicação Institucional do Governo, já que o equilíbrio e a sensatez configuram o traço marcante de sua personalidade.

Não por menos que ele continua sendo um referencial para todos os que integram esta Diretoria.

Julian Lemos comemora aprovação na CCJ de projeto que obriga o preso a ressarcir gastos com a sua prisão

Pautando sua atuação política na segurança o deputado federal Julian Lemos comemorou a aprovação na CCJ da Câmara dos Deputados do projeto de lei que obriga o preso a ressarcir gastos com a sua manutenção na prisão.

“Ótima notícia, a prisão tem a obrigação de afastar o criminoso da sociedade e não sustentá-lo. Os gastos nos presídios são enormes e essa é uma forma eficiente de diminuir as despesas” avaliou Julian Lemos.