PESQUISA DATAVOX: Gestão de Berg Lima é reprovada por 77% da população de Bayeux

O prefeito ex-presidiário de Bayeux, preso em flagrante ao extorquir um empresário em julho de 2017, possui a maior rejeição dos últimos 10 anos na cidade. De acordo com os números da pesquisa Datavox, 77,1% dos eleitores desaprovam a administração que ficou marcada por escândalos de corrupção.

Apenas 18,4% dos entrevistados responderam que aprovam a gestão de Berg e 4,5% não souberam opinar:

Berg Lima também bate o record de rejeição quando o entrevistado é questionado a avaliar a gestão de maneira mais detalhada. 41,6% consideram a administração PÉSSIMA e 26,6% RUIM. Na soma de péssimo e ruim, Berg alcança o impressionante percentual de 68,2%:

A Datavox realizou 402 entrevistas no dia 30 de abril. A margem de erro é de 4,9% e o intervalo de confiança é de 95%.

Berg Lima se mantém no cargo de prefeito graças a uma liminar, mas nas próximas semanas pode ser afastando novamente.

EX-PRESIDIÁRIO: Berg Lima pode ser afastado da prefeitura de Bayeux a qualquer momento

A suspensão da liminar que mantém no cargo o prefeito ex-presidiário de Bayeux pode ser julgada a qualquer momento no STJ. O processo está concluso para julgamento desde o dia 28 de fevereiro.

A permanência de um gestor preso em flagrante ao cobrar propina de um fornecedor fere de morte o princípio constitucional da moralidade administrativa.

O ex-presidiário não tem moral nem para ser síndico de condomínio, pois quando desempenhou a função de síndico, antes de se tornar político, também foi acusado de desvios.

R$ 20 MIL POR MÊS: Leo Micena articula ação popular para suspender o salário de Berg Lima

Finalmente alguém da classe política de Bayeux se mobiliza para por fim a uma imoralidade. Sem dar um prego numa barra de sabão e depois de ter roubado a cidade de Bayeux, Berg Lima continua recebendo um dos maiores salários de prefeito da Paraíba; R$ 20 mil.

É um verdadeiro tapa na cara do povo trabalhador de Bayeux, que rala diariamente para ganhar um salário mínimo e ainda tem que bancar a vida boa de um prefeito preso em flagrante por corrupção.

Enquanto na cidade falta de tudo, inclusive merenda, o ilustre vagabundo se esforça para continuar recebendo seu salário de R$ 20 mil até dezembro de 2020, pois Berg tem certeza que para a prefeitura ele não volta nunca mais. E como o “projeto” do garoto da fala mansa sempre foi o dinheiro, Berg Lima fez acordos para não ser cassado e continuar lesando o bolso do contribuinte.

Se a Justiça não agir contra essa imoralidade, Berg dará um prejuízo de R$ 1 milhão aos cofres de Bayeux, até dezembro de 2020.

Precisamos elogiar a atitude de Leo Micena, que diferente da maioria da classe política de Bayeux, não fica só jogando conversa fora nos grupos de WhatsApp, e está mobilizando a sociedade para se manifestar contra a imoralidade que representa o salário de Berg Lima.

“Quantas ruas poderiam ser calçadas, quantos medicamentos poderiam estar à disposição do povo e a merenda para as crianças nas creches. Ou seja, Bayeux já perdeu quase R$ 200 mil com essa imoralidade. Chegou a hora de reagir”, afirma Leo Micena.

Na próxima quinta-feira (24), a partir das 9h, em frente à Câmara de Vereadores, será realizado um ato público para coleta de assinaturas para uma ação popular que vai pedir o bloqueio do salário de R$ 20 mil que Berg recebe todo mês sem trabalhar.

Preso em flagrante por corrupção há quase um ano, Berg Lima continua recebendo salário de R$ 20 mil

Enquanto a maioria do trabalhador honesto de Bayeux tem que fazer milagre pra sobreviver com um salário de R$ 954,00, um político preso em flagrante por corrupção ganha R$ 20 mil todo mês sem dar um prego numa barra de sabão. E assim deve continuar até dezembro de 2020, já que 10 vereadores da cidade votaram contra a cassação de Berg Lima e arquivaram o processo.

Diferente de gestores que são afastados por suspeitas de corrupção, Berg Lima foi afastado do cargo porque foi preso em flagrante e vários vídeos comprovam o crime cometido. Ou seja, não há dúvidas sobre a ilicitude.

O mais curioso é que a classe política de Bayeux compactua com tal imoralidade e até o presente momento ninguém provocou a Justiça para que o salário de Berg Lima seja suspenso.

Enquanto Bayeux continua um caos e falta de tudo para a população mais carente, um corrupto dará um prejuízo aos cofres da cidade de quase R$ 1 milhão até 2020. E tudo isso com a ajuda dos nobres vereadores:

Berg Lima volta a administrar Bayeux, mas indiretamente

Preso em flagrante por corrupção, o prefeito afastado de Bayeux, Berg Lima, volta a dar as cartas na prefeitura; mas indiretamente, através do prefeito interino Noquinha, que votou e organizou a tropa de choque contra a cassação de Berg na vergonhosa sessão de fim de ano da Câmara Municipal.

Réu no Tribunal de Justiça pelo crime de estelionato, Berg Lima foi convidado de forma especial pelo próprio Noquinha para comparecer à sessão de posse na Câmara. Com um sorriso de orelha a orelha, Berg não escondia sua felicidade.

Fontes informaram ao POLÍTIKA que ele deverá nomear 5 secretários e centenas de cargos comissionados. É coisa demais para um leproso político que sequer pode andar nas ruas de Bayeux porque é chamado de ladrão pelo povo.

Por que os vereadores de Bayeux temem tanto Berg Lima?

É bom a Justiça ficar de olho. O menino “traquino” está de volta ao comando…