PESQUISA DATAVOX: Gestão de Berg Lima é reprovada por 77% da população de Bayeux

O prefeito ex-presidiário de Bayeux, preso em flagrante ao extorquir um empresário em julho de 2017, possui a maior rejeição dos últimos 10 anos na cidade. De acordo com os números da pesquisa Datavox, 77,1% dos eleitores desaprovam a administração que ficou marcada por escândalos de corrupção.

Apenas 18,4% dos entrevistados responderam que aprovam a gestão de Berg e 4,5% não souberam opinar:

Berg Lima também bate o record de rejeição quando o entrevistado é questionado a avaliar a gestão de maneira mais detalhada. 41,6% consideram a administração PÉSSIMA e 26,6% RUIM. Na soma de péssimo e ruim, Berg alcança o impressionante percentual de 68,2%:

A Datavox realizou 402 entrevistas no dia 30 de abril. A margem de erro é de 4,9% e o intervalo de confiança é de 95%.

Berg Lima se mantém no cargo de prefeito graças a uma liminar, mas nas próximas semanas pode ser afastando novamente.

Prefeitura e MPPB debatem sobre organização de festivais juninos em Santa Rita

Prefeitura de Santa Rita, Ministério Público, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Energisa, Conselho Tutelar e outros órgãos estiveram nesta terça-feira (16) reunidos para discutir os preparativos e a realização dos eventos juninos no município, que acontecerão de 15 a 30 de junho. Durante o período, Santa Rita sediará novamente os festivais municipal e estadual de quadrilhas juninas, além do Nordestão, pela primeira vez sediado na cidade.

A reunião foi conduzida pela promotora Ana Maria França e teve o objetivo de estabelecer um suporte para o sucesso do evento, minimizando possíveis intercorrências. Além dos aspectos que envolvem a estrutura física, foi tratado sobre segurança pública, assistência em saúde, fiscalização na área de infância e juventude, dentre outras questões.

O prefeito Emerson Panta e seus auxiliares explicaram detalhes sobre a organização, que envolve todas as secretarias municipais e conta com a colaboração de órgãos de segurança e de fiscalização, a exemplo da PM-PB. “O êxito em 2017 e 2018 resultou numa festa ainda maior este ano, com Santa Rita orgulhosamente sediando o Festival Nordestão de juninas. Estamos aqui com o compromisso de fazer nossa cidade a capital junina da Paraíba”, afirmou o prefeito.

“Temos a certeza de que Santa Rita vai se destacar ainda mais este ano na realização desses eventos juninos. E é por isso que estamos aqui reunidos porque esses festejos serão um marco positivo para a cidade”, destacou a promotora Ana Maria França.

Prefeito de Bananeiras é acusado de causar rombo milionário na previdência municipal

Não termina bem o final do segundo mandato do prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena. A oposição culpa o prefeito por um rombo de R$ 20 milhões no Instituto Bananeirense de Previdência Municipal – IBPEM.

De acordo com o vereador Nicodemos Costa, Douglas Lucena herdou o IBPEM com quase R$ 6 milhões de saldo positivo, em 2013, mas fechou o ano de 2018 com apenas R$ 6 mil em caixa.

Matheus Bezerra, ex-candidato a prefeito, afirma que só em 2017, Douglas deixou um débito de quase R$ 2 milhões na previdência municipal.

Líder da oposição, Matheus acredita que a aposentadoria do servidor municipal pode estar ameaçada.

REPROVAÇÃO: Ministério Público de Contas emite parecer técnico das contas do atual prefeito de Bananeiras

O Ministério Público de Contas da Paraíba, após analisar as contas referentes ao exercício de 2017 do atual prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena, apontou diversas irregularidades, algumas com alto nível de gravidade e assim emitiu parecer contrário à aprovação das contas.

As irregularidades constatadas pelo órgão auditor tinham sido indicadas no relatório prévio sobre gestão e outras advindas da prestação de contas, como incompatibilidade não justificada, registros contábeis incorretos sobre fatos relevantes e não realização de licitação em casos previstos na lei de licitações.

O parecer Nº 1504/18 analisa minuciosamente as inconsistências, que são desde a abertura de créditos adicionais sem a devida indicação dos recursos correspondentes, envolvendo o Instituto Bananeirense de Previdência (IBPEM), transferência de recursos sem autorização legislativa, não aplicação do percentual mínimo de 25% da receita de impostos na manutenção e desenvolvimento do ensino, gasto com pessoal acima do limite de 60%, pagamentos em duplicidade para 75 servidores, um prejuízo de 735 mil reais aos cofres públicos e entre outros.

Um ponto em destaque pela auditoria é concernente a inadimplência no pagamento da contribuição patronal devida tanto ao INSS, cerca de R$ 952 mil reais, bem como ao IBPEM, um montante de quase 2 milhões e meio de reais. No que refere-se ainda ao IBPEM, o relatório aponta a ausência de quitação de parcelamento, valor este somando quase 1 milhão de reais.

“Fortes indícios de fraude, simulação e desvio de recursos públicos para finalidade diversa da legalmente prevista, com beneficiamento indevido e imoral de agentes públicos e/ou terceiros”, explicou a procuradora Elvira Oliveira em seu parecer.

 

 

Prefeitura de Caaporã completa um ano à frente do Hospital Ana Virginia e bate recorde de quase 30 mil atendimentos

Ampliação de atendimentos, mais serviços, aquisição e manutenção de equipamentos, estoque de medicamentos abastecido e aumento no quadro de profissionais. Todos esses pontos positivos foram conquistados ao longo do primeiro ano da gestão do Hospital e Maternidade Ana Virgínia feita pela Prefeitura de Caaporã.

A conquista partiu do prefeito Cristiano Monteiro, que ao assumir o mandato em 2017, constatou que a gestão do Hospital apresentava diversas falhas, e com a autorização da justiça e da Câmara Municipal de Vereadores, conseguiu reabrir o hospital no dia 06 de abril de 2018 e assumir a administração direta que hoje é referência no Litoral Sul da Paraíba. E os resultados dessa mudança que foi feita há exatamente um ano são positivos.

O número de atendimentos saltou e chegou ao recorde de 28.026 neste primeiro ano. Além disso, o hospital retomou os partos, internações, dentre outros serviços que faziam falta à população caaporense que tinha que sair da cidade para buscar atendimentos em João Pessoa, Alhandra ou Goiana-PE.

“Trabalhamos muito ao longo de todo o ano para reorganizar o atendimento e proporcionar à população uma saúde de qualidade. Os moradores de Caaporã assistiam ao fim do Hospital quando tivemos que agir para conquistarmos o direito de administrar a unidade hospitalar, reabrindo as portas do Ana Virgínia para o SUS e para o povo”, avaliou o prefeito.

Reabertura

A unidade de saúde estava fechada desde outubro de 2017, por decisão da direção do Hospital, mesmo com todo interesse da Prefeitura Municipal em firmar convênio e efetuando rigorosamente o repasse de verbas do SUS, a documentação exigida pelo Ministério da Saúde não foi enviada para a renovação do contrato de prestação de serviço. A população ficou prejudicada e foi então que a gestão do Prefeito decidiu acionar a justiça no intuito de administrar o Hospital para que os moradores de Caaporã e região não ficassem sem atendimento, e assim a juíza da Comarca local, determinou que a Prefeitura administrasse a gestão hospitalar.

Municipalização

Reunidos em sessão histórica na Câmara Municipal, os vereadores aprovaram, por unanimidade, o projeto de lei (PL) enviado pelo Prefeito de Caaporã, para a municipalização do Hospital e Maternidade Ana Virginia, anteriormente administrado pela entidade filantrópica vinculada à Associação de Proteção a Maternidade e Assistência a Infância de Caaporã, porém estava fechado há seis meses, mesmo com o interesse da Prefeitura em continuar com o convênio.

A sessão aconteceu no dia 17 de abril, com a presença da população de Caaporã que lotou o plenário da Câmara Municipal e comemorou a decisão dos oito vereadores que votaram a favor da municipalização, ou seja, aprovaram por unanimidade o projeto enviado pelo executivo. Apenas dois vereadores não quiseram votar nem contra e nem a favor e se abstiveram do voto. O presidente da Casa Legislativa só vota em caso de empate.

Prefeito de Patos renuncia ao cargo

O prefeito interino do município de Patos, Bonifácio Rocha, renunciou o cargo nesta quinta-feira (04). A informação foi confirmada ao Portal MaisPB pelo secretário de comunicação da cidade Mizael Nóbrega.

De acordo com o secretário, ainda não houve o anúncio de forma oficial, mas familiares e secretários já confirmam a decisão, que até o momento foi divulgada em foro íntimo pelo gestor.

Com a renúncia do prefeito, o presidente da Câmara Municipal, Sales Junior, assume a posição também de forma interina.

MaisPB

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA: MP denuncia Noquinha por superfaturar compra na Prefeitura de Bayeux

O atual vereador e ex-prefeito interino de Bayeux, Mauri Batista (foto), o Noquinha (PSL), vai responder judicialmente a mais uma ação de improbidade administrativa.

Noquinha e a empresa Hermínio Comércio Varejista de Produtos Diversos foram acusados pelo Ministério Público de causarem dano ao erário de Bayeux com o superfaturamento de produtos.

A promotora Maria Edligia Chaves Leite, da Comarca de Bayeux, pediu ainda o ressarcimento aos cofres públicos de R$ 51.958,43,  valor do contrato com a empresa.

Se condenado, Noquinha pode ainda perder o cargo de vereador e ter seus direitos políticos suspensos de 5 a 8 anos.

Paraíba Já

Candidatura de Cássio é a única capaz de impedir racha em Campina Grande

Bruno Cunha Lima, Tovar, Manoel Ludgério e Pedro Cunha Lima. O que eles têm em comum? Todos querem suceder o prefeito Romero Rodrigues em 2021. São quatro nomes fortes, com popularidade, serviço prestado e uma história com a cidade. E todos se acham no direito de pleitear uma candidatura, e com razão.

Nesse duelo de titãs há também muita vaidade, ciumeira e uma guerra-fria entre Bruno Cunha Lima e Tovar, este último considerado o queridinho de Romero Rodrigues.

É ingrediente de sobra pra provocar um racha que só vai beneficiar a oposição. É importante lembrar que Veneziano foi eleito, em 2014, a partir do racha entre Cozete e o grupo Cunha Lima. Igualmente como Cartaxo, em 2012, Veneziano viu a máquina municipal cair em seu colo, e venceu a eleição por uma diferença de 700 votos.

Cássio quer dar uma pausa na política, mas a sua candidatura a prefeito de Campina é a única capaz de botar um ponto final na disputa interna e manter a coesão do grupo e a continuidade de uma gestão muito bem avaliada.

E lógico, pavimentar sua volta ao Senado.

Segundo investigações, prefeito de Cabedelo enriqueceu 1.475% e dono do Manaíra Shopping comprou “renúncia” de Luceninha

As investigações da Operação Xeque-Mate concluíram que prefeito, vice-prefeito e vereadores de Cabedelo presos hoje (3) pela Polícia Federal montaram um esquema de desvio de recursos públicos através de funcionários fantasmas, laranjas e doação de terrenos.

O trabalho de apuração foi realizado pela PF e o Gaeco (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado), do Ministério Público da Paraíba (MPPB), que identificaram um aumento de patrimônio do prefeito Leto Viana da ordem de 1.475% em apenas oito anos, de 2008 a 2016.

Nesse período, Leto e sua esposa, Jacqueline, teriam comprado pelo menos 13 imóveis no município de Cabedelo. As transações, fechadas em nome de terceiros, somaram mais de R$ 10 milhões, valor que os investigadores e a Justiça consideraram muito acima do poder de compra e da remuneração do casal.

Outro ponto de destaque da investigação aponta indícios de que o empresário Roberto Santiago, dono do Manaíra Shopping, teria financiado a compra do mandato do prefeito Luceninha, eleito em 2012 e que viria a renunciar em novembro de 2013, favorecendo a ascensão de Leto ao cargo de prefeito.

Parte do suposto pagamento a Luceninha teria sido feita com cheques de uma imobiliária chamada Portal, da qual Santiago seria sócio-proprietário. Outra parte, no valor de R$ 500 mil, foi sacado em espécie de contas do empresário e daquela empresa, conforme informações fornecidas à PF e ao Gaeco pelo Coaf – Conselho de Controle de Atividades Financeiras, órgão do Governo Federal.

O que diz Roberto Santiago

Através de Nota à Imprensa divulgada na tarde de hoje (3), Roberto Santiago disse que construiu sua vida “tendo como signo o trabalho honesto” e manifestou-se “profundamente surpreso” com a citação de seu nome entre os investigados da Operação Xeque-Mate.

“Tenho a plena convicção de que não cometi nenhum ato ilícito e não tenho qualquer relação administrativa ou funcional com os Poderes Executivo e Legislativo de Cabedelo. Estou, e como sempre estive, colaborando e à disposição da Justiça e das Instituições”, arremata Santiago.

Rubens Nóbrega

Prefeito e primeira-dama de Cabedelo são presos pela Polícia Federal

A Polícia Federal, em ação conjunta com o MPPB (GAECO), deflagrou na manhã desta terça (3) a operação Xeque-Mate com objetivo de desarticular esquema de corrupção na administração pública de Cabedelo/PB, no âmbito dos poderes executivo e legislativo municipal.

Confira abaixo a lista dos alvos até o momento. Operação está agora também na casa do empresário Roberto Santiago, dono do Manaíra Shopping

Entre os alvos da operação estão os vereadores: Lúcio José; Tercio Dornelas;  Jackeline (mulher do prefeito); Júlio Datele e Antônio do Vale.

Segundo o advogado Marcos Pires, o empresário Roberto Santiago não foi detido na operação, apenas a residência foi alvo de mandado de busca e apreensão.

Participam da operação cerca de 200 policiais federais. Serão cumpridos 11 mandados de prisão preventivas, 15 sequestros de imóveis e 36 de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba. Além dos mandados, a justiça decretou o afastamento cautelar do cargo de 85 servidores públicos, entre eles o prefeito e o vice-prefeito de Cabedelo, e o presidente da Câmara Municipal.

Durante as investigações, ficou comprovado a participação das principais autoridades públicas do município que se beneficiavam do esquema de diversas formas, tendo registrado aumento patrimonial espantoso, muito acima do condizente com sua renda. Somente na aquisição de imóveis nos últimos cinco anos, verificou-se que um agente político envolvido movimentou mais de 10 milhões de reais à margem do sistema financeiro oficial. Operação está agora também na casa do empresário Roberto Santiago.

O advogado do empresário, Marcos Pires, confirmou que Roberto Santiago não foi preso. “Não tenho nada a declarar, só vim prestar minha solidariedade ao amigo Roberto Santiago, empresário respeitado, bem quisto e de boa índole. Vamos nos reunir no shopping e a partir daí, ficar a par do que está acontecendo e o que será feito de nossa parte”, explicou o advogado do empresário.

Em um dos esquemas, foram detectados funcionários fantasmas da prefeitura e da câmara municipal que recebiam salários de até R$20.000 e entregavam a maior parte para as autoridades locais, ficando de fato com valores residuais.

Foram constatadas ainda doações fraudulentas de imóveis do patrimônio público municipal, bem localizados e de alto valor, para empresários locais sem que houvesse critérios objetivos para a escolha do beneficiado.

Os envolvidos responderão por formação de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e fraude licitatória. O prefeito responderá ainda por crime de responsabilidade de prefeito. O MPPB e a PF disponibilizam o endereço eletrônico http://xequemate.mppb.mp.br para denúncias relativas à investigação. _Haverá coletiva de imprensa às 10h30 na Superintendência Regional da Polícia Federal_

Prefeito de Cuité faz gambiarra em ônibus escolar pra passar em vistoria

O prefeito de Cuité, Charles Camaraense, está sendo acusado de fazer uma gambiarra nos ônibus escolares para passar na vistoria do Detran. A denuncia foi feita pelo ex-deputado estadual Bado Venâncio, que afirma que o prefeito mandou tirar as rodas de caminhões-pipa para colocar nos ônibus escolares:

“A administração do prefeito Charles Camaraense determinou a retirada dos pneus do caminhão pipa para colocar em ônibus de transporte escolar, haja vista que hoje estava havendo vistoria nos transportes de estudantes de toda nossa região e os veículos do município de Cuité PB, estavam sem condições de receberem o atesto de regularidade por parte do setor competente, pois estavam com pneus carecas, sem disco de tacógrafo, faltando lâmpadas de alerta, dentre outros itens de segurança, o que levou os motoristas a recolher os ônibus para a garagem do município, sem fazerem as competentes e obrigatórias vistorias. Com a palavra o Ministério Público e o Detran PB”, denunciou Bado.

O novo prefeito já foi acusado de desativar o Samu e o mamógrafo da cidade. Parece que Cuité não vive bons tempos…