Operação calvário e superfaturamento em licitação; por que Ricardo Coutinho está com medo de falar?

Cadê aquele Ricardo Coutinho das bravatas, prometendo surras de vara nos adversários? Por onde anda o destemido Mago e suas falácias republicanas? O que Ricardo tem a dizer sobre o áudio dos seus principais secretários superfaturando licitação? Ricardo Coutinho tinha conhecimento da propina enviada através do assessor de Livânia Farias? Ricardo tem medo de que?

Para bom entendedor, o silêncio de Ricardo Coutinho já responde essas e outras indagações. O ex-governador pode até não ter participação em nenhuma maracutaia, mas está seguindo o roteiro dos culpados ao escolher o silêncio.

Ricardo precisa dar as caras e comentar os escândalos envolvendo o seu governo. Os protagonistas (Gilberto Carneiro, Waldson e Livânia) não eram apenas auxiliares, são pessoas quem caminham ao lado de Ricardo Coutinho há décadas, gente de total confiança, verdadeiros amigos.

Quem não deve, não teme…

Maior esquema de corrupção da Paraíba pode ter financiado campanhas de Ricardo Coutinho e João Azevedo

O maior escândalo de corrupção da história da Paraíba pode ter financiado as campanhas de Ricardo Coutinho e João Azevedo, ambos do PSB, partido que governa o estado desde 2011. Segundo reportagem especial do JPB, o Ministério Público acredita que há indícios que a propina repassada ao governo da Paraíba teria sido utilizada para financiar campanhas eleitorais.

De acordo com as investigações, em agosto de 2018, Leandro Nunes, assessor da Secretaria de Administração da Paraíba, recebeu uma caixa com dinheiro em um hotel no Rio de Janeiro. O dinheiro foi entregue por Michele Cardoso, braço direito de Daniel Gomes da Silva, acusado de comandar a organização criminosa:

Segundo o Ministério Público, horas antes de pegar a caixa, Leandro recebeu uma ligação de Waldson Souza, atual secretário de Planejamento:

Meia hora antes do encontro no hotel, Leandro Nunes recebeu uma outra ligação de um celular pertencente à secretaria de Administração, comandada por Livânia Farias, onde Leandro supostamente trabalhava:

No celular de Michele Cardoso, assessora do chefe do esquema, o MP encontrou mensagens de texto comprovando que a propina era utilizada para campanhas eleitorais na Paraíba:

As conversas de Michele Cardoso, a mulher da caixa com dinheiro, revelava o desespero com a provável derrota de Ricardo Coutinho e, consequentemente, o fim do contrato com a Cruz Vermelha:

A investigação também identificou, em junho de 2018, seis chamadas feitas para o celular de Coriolano Coutinho, o famoso “Cori”, irmão de Ricardo Coutinho. Coriolano já se envolveu em outra denúncia de corrupção quando era Superintendente da Emlur, no caso que ficou conhecido como o escândalo do “gari milionário”, sendo atestado pelo Ministério Público a fraude em licitação e lavagem de dinheiro:

De acordo com o MP, Jaime Gomes da Silva, tio de Daniel Gomes (chefe da quadrilha), doou R$ 300 mil para o comitê estadual do PSB, em 2010. A doação foi realizada 8 meses antes do hospital de Trauma ser terceirizado para a Cruz Vermelha:

O mais curioso é que Jaime Gomes é português e nunca teve relação política com a Paraíba.

OPERAÇÃO CALVÁRIO: Áudio grampeado mostra secretário de Ricardo Coutinho beneficiando empresário em licitação da Saúde

Vazou um áudio grampeado de uma conversa entre Waldson Souza, ex-secretário de Saúde, com um suposto empresário. Na conversa, o braço direito de Ricardo Coutinho passa instruções que favorecem a empresa que vai disputar a licitação. A conversa começa aos 4 minutos e 30 segundos.

EmpresárioÔ Waldson, fala aí, será que rola?

WaldsonRola.

EmpresárioDesembaralha?

WaldsonEu queria o governador aqui. Ele tá em campanha ou viajando

WaldsonFicou 1 e 600, foi? (milhões)

EmpresárioFicou 1 e 600 e uns quebradinhos

Segundo informações de bastidores, o empresário que aparece no áudio estaria envolvido no esquema de corrupção da Cruz Vermelha.

O grampo também envolve o procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro. No segundo áudio, aos 30 minutos e 30 segundos, Gilberto dá a entender que o juíz Aluízio Bezerra é aliado do PSB, o que compromete a independência do magistrado.

Giberto Carneiro: “Agora deixe eu lhe pedir uma coisa, faça uma visita a Aluízio Bezerra, de uma conversada com ele, tranquilo, porque ele é um defensor nosso. Tem que alimentar ele de informação”.

Comentar com Facebook

Comentários