Luciano Cartaxo faz mudanças na equipe e Helton René voltará ao Procon

O prefeito Luciano Cartaxo anunciou, no início da noite desta segunda-feira-feira, mudanças em sua equipe de governo e na liderança na Câmara Municipal.
A primeira mudança foi o convite para o vereador Helton Renê retornar ao Executivo como secretário de Defesa do Consumidor (Procon-JP), cargo que exerceu no primeiro mandato do prefeito Cartaxo.

Com ida de Helton Renê para o Executivo, o prefeito Luciano Cartaxo convidou o vereador Fernando Milanês Neto para ser o novo líder do governo no Legislativo Municipal.

Outra mudança na Câmara, a partir do movimento provocado pelo prefeito Luciano Cartaxo, é a ascensão do suplente Carlão da Consolação, ligado ao movimento pastoral da Igreja Católica da Capital. Carlão é filiado ao PSDC.

Ainda na equipe de governo, o prefeito Luciano Cartaxo faz mudanças na Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres. A nova titular será a jornalista Lídia Moura.
A atual secretária das Mulheres, Adriana Urquiza, vai agora ocupar o cargo de Adjunta do Instituto de Previdência do Municipio (IPM), posto que era ocupado por Marmute Cavalcanti.

Janot volta a pedir prisão de Aécio Neves

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, voltou a pedir, nesta segunda-feira, a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG), em razão da propina de R$ 2 milhões paga pela JBS a seu primo Fred Pacheco; derrotado nas eleições presidenciais de 2014, Aécio foi o principal responsável pelo golpe de 2016, que instalou Michel Temer no poder; hoje, os dois estão entre os políticos mais repudiados do Brasil, com rejeições de 90% e 94%, respectivamente; caberá à primeira turma do Supremo Tribunal Federal decidir sobre a prisão de Aécio, que lançou o Brasil à maior crise de sua história.

Derrotado nas eleições presidenciais de 2014, Aécio foi o principal responsável pelo golpe de 2016, que instalou Michel Temer no poder, mas, hoje, os dois estão entre os políticos mais repudiados do Brasil, com rejeições de 90% e 94%, respectivamente.

Caberá à primeira turma do Supremo Tribunal Federal decidir sobre a prisão de Aécio, que lançou o Brasil à maior crise de sua história.

O novo pedido de prisão foi revelado pelo jornalista Jailton de Carvalho. “O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, voltou a pedir a prisão do senador Aécio Neves, presidente licenciado do PSDB, no caso em que ele é acusado de pedir e receber R$ 2 milhões do empresário Joesley Batista. Janot também pediu para afastamento de Aécio do mandato de senador. O primeiro pedido de afastamento e prisão foi rejeitado em decisão monocrática do ministro Marco Aurélio. Caberá agora à Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal decidir sobre o assunto”, diz ele, em reportagem publicada no Globo. “Em 18 de maio, dia seguinte à revelação, pelo GLOBO, da delação de Joesley Batista e de outros executivos da JBS, o que incluía das gravações de conversas do empresário com o presidente Michel Temer e com Aécio Neves, a Polícia Federal deflagou uma operação que levou à prisão, temporariamente, Andréia Neves, irmã de Aécio. O pedido de prisão do senador, porém, foi rejeitado.”

Leia, abaixo, reportagem da Agência Brasil:

André Richter – Repórter da Agência Brasil

A Procuradoria-Geral da República (PGR) entrou hoje (31) no Supremo Tribunal Federal (STF) com novo recurso pedindo a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG). A PGR pretende anular decisão anterior do ministro Marco Aurélio, que negou outro pedido de prisão e determinou o retorno do parlamentar, no mês passado, às atividades no Senado.

É o terceiro pedido sucessivo feito pela procuradoria para prender o senador. Dois foram rejeitados desde a homologação da delação premiada da JBS. A questão será analisada pela Primeira Turma da Corte, composta pelos ministros Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Luiz Fux e Luís Roberto Barroso, além do relator.

No mês passado, Marco Aurélio manteve decisão anterior de negar o pedido de prisão preventiva do senador, mas proibiu Aécio de deixar o país e de fazer contato com outros investigados ou réus no processo.

Antes da decisão de Marco Aurélio, Aécio Neves estava afastado da atividade parlamentar por uma decisão do antigo relator do caso, ministro Edson Fachin. Aécio foi citado pelo empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, e um de seus depoimentos de delação premiada. Joesley contou aos procuradores que Aécio lhe pediu R$ 2 milhões para pagar despesas com sua defesa na Operação Lava Jato.

À época, a defesa de Aécio comemorou a decisão de Marco Aurélio e o senador disse que sempre acreditou Justiça e que seguiria “no exercício do mandato que me foi conferido por mais de 7 milhões de mineiros, com a seriedade e a determinação que jamais me faltaram em 32 anos de vida pública”, declarou em nota.

Luiz Antonio começa a arrumar a casa e Bayeux volta a pagar funcionalismo dentro do mês trabalhado

É obrigação, não é favor. Mas a verdade é que nos últimos meses o ex-prefeito Berg Lima já não vinha pagando o funcionalismo no mês trabalhado, reflexo do descontrole administrativo e financeiro da gestão mais atrapalhada da história de Bayeux.

Ao trazer novamente o pagamento para dentro do mês trabalhado, em menos de 30 dias, Luiz Antônio dá sinais de que sua gestão vai ser diferente.

Até porque Bayeux não aguenta outro Berg Lima…

EXCLUSIVO: Secretária de Educação de Bayeux mantém “parceria” de fachada para acomodar fantasmas de Berg Lima

Você conhece a UNIFUTURO? Certamente não. Ninguém em Bayeux conhece. Ela só existe num acordo de cooperação firmado com a prefeitura de Bayeux nos primeiros dias da gestão de Berg Lima, que se encontra preso. O objetivo da “parceria” seria a cooperação em toda a área de educação e a oferta de cursos de especialização.

E com um detalhe: sem licitação!

Porém, de acordo com uma portaria do Ministério Público Federal, a UNIFUTURO não é Instituição de Ensino Superior credenciada pelo MEC, não podendo ofertar cursos superiores. E por isto ficou proibida de realizar parcerias com municípios do estado do Pará:

A verdade é que a “parceria” não gerou nada de produtivo para a cidade de Bayeux, serve apenas de fachada para acomodar funcionários fantasmas da secretaria de Educação, a exemplo da esposa do ex-coordenador de comunicação, Nelson Nóbrega. Ela já havia sido denunciada na imprensa por ser funcionária fantasma:

Segundo informações repassadas ao Polítika, o dono da UNIFUTURO, Ricardo Monteiro, seria amigo de Nelson Nóbrega, ex-coordenador de comunicação e braço direito de Berg Lima. Fato que justifica a esposa de Nelson à frente da “parceria”.

Em nota divulgada há alguns meses, o próprio Nelson confirmou o local de “trabalho” da esposa:

Agora entendemos o porquê de Nelson peregrinar diariamente pelos corredores da prefeitura de Bayeux e se reunir por mais de 4 vezes com a secretária Adriana Diniz no último mês. Segundo minha fonte, a parceria de fachada acomoda 7 funcionários fantasmas, e tudo isso com o aval e consentimento da secretária Adriana, remanescente da gestão de Berg Lima.

Diante do exposto, o que mais me espanta é a cumplicidade do novo prefeito, Luiz Antônio, que tomou conhecimento das informações, mas mesmo assim manteve a funcionária fantasma em sua gestão.

Tanta cumplicidade revela rabo preso?

Ainda boto fé em Luiz Antonio, ele mostra ser uma pessoa do bem, mas tá confiando em quem não deve.

Berg não era a única laranja podre do cesto…

Temer torrou R$ 4,1 bilhões em emendas para escapar do afastamento

Para conseguir o apoio parlamentar necessário para barrar a denúncia de corrupção apresentada por Rodrigo Janot, Michel Temer torrou R$ 4,1 bilhões em emendas parlamentares apenas em junho e julho – o equivalente a 97% do total liberado o ano inteiro –, e direcionou o foco do Executivo para projetos destinados às prefeituras, como o programa de regularização fundiária; Temer montou ainda uma verdadeira maratona de reuniões: recebeu mais de 160 deputados e senadores; o peemedebista, no entanto, não deve ter muito tempo para comemorar; antes de deixar o cargo, Janot apresentará uma nova acusação de obstrução da Justiça e organização criminosa

O peemedebista recebeu mais de 160 deputados e senadores, acelerou emendas parlamentares, lançou “pacotes de bondades”, manteve como aliado Rodrigo Maia (DEM-RJ), seu eventual sucessor, e se beneficiou das “ruas vazias”.

Desde 17 de maio, quando veio à tona o conteúdo da delação premiada do empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, Temer recebeu em seu gabinete no Palácio do Planalto 133 deputados federais e 30 senadores. Após a denúncia chegar à Câmara em 29 de junho, Temer iniciou uma verdadeira “blitze política” para receber deputados e convencê-los a votar contra a abertura de investigação no Supremo Tribunal Federal. Em um único dia, recebeu 30 parlamentares.

O peemedebista atendeu a interesses da base, como a liberação de R$ 4,1 bilhões em emendas parlamentares apenas em junho e julho – o equivalente a 97% do total liberado o ano inteiro –, e direcionou o foco do Executivo para projetos destinados às prefeituras, como o programa de regularização fundiária. A pouco mais de um ano das eleições de 2018, a oferta de recursos para obras em municípios tem como objetivo ajudar deputados e senadores a colher dividendos em suas bases eleitorais.

No entanto, uma nova denúncia contra Temer, com a acusação de obstrução da Justiça e organização criminosa, deve ser apresentada por Janot, que vai deixar o comando do Ministério Público Federal no dia 17 de setembro. Novas delações também podem voltar a conturbar o ambiente político.

Luciano Cartaxo é recebido por diversas lideranças politicas na cidade de Bananeiras

Na tarde deste sábado (29), o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), foi recebido por diversas lideranças políticas da cidade de Bananeiras, como o peemedebista Mateus Bezerra, que disputou as eleições municipais do ano passado representando a oposição. Além dele, vereadores da bancada de oposição, lideranças comunitárias e representantes de municípios vizinhos também participaram do encontro.

Na ocasião, eles conversaram sobre a realidade do município e a importância de dialogar sobre os problemas da Paraíba. Além disso, Luciano Cartaxo também compartilhou um pouco de sua experiência enquanto gestor da maior cidade do Estado, com um modelo de gestão tem apresentado resultados na melhoria da qualidade de vida da população e premiado por diversas instituições, como o prêmio recebido na última sexta-feira (28) pelo Conselho Federal de Administração (CFA), em Campina Grande.

Luciano Cartaxo foi acompanhado do presidente municipal do PSD em João Pessoa, Lucélio Cartaxo. Na noite deste sábado ele ainda participa de atividades no município de Solânea.

O que fizeram até agora os 4 deputados federais com mais votos?

Nas eleições de 2014, Celso Russomanno (PRB-SP), Tiririca (PR-SP), Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP) foram os que tiveram mais votos, em números absolutos, no Brasil. Campeões nas urnas, eles têm o perfil que pode ser favorecido com a adoção do distritão, sistema eleitoral em discussão na Câmara dos Deputados.

A alteração é um dos pontos da reforma eleitoral, em discussão na Câmara e que precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional até setembro para valer para 2018 (leia mais no fim do texto).

Integrantes de partidos da base, os quatro campeões de voto foram a favor da reforma trabalhista, com exceção de Tiririca. Na Proposta de Emenda à Constituição que estabeleceu o teto de gastos públicos, todos votaram pela aprovação.

Confira o desempenho de 2015 a julho de 2017 dos deputados com mais votos em 2014.

Celso Russomanno

ANTONIO AUGUSTO / CÂMARA DOS DEPUTADOS

Com 1.524.361 votos em 2014, o apresentador de televisão e especialista em Direito do Consumidor, Celso Russomanno se tornou o deputado federal mais votado do Brasil. O montante equivale a 7,26% dos eleitores de São Paulo, à época.

Em seu 5º mandato na Câmara, o parlamentar foi líder do PRB até fevereiro de 2016. De janeiro de 2015 a julho de 2017, gastou R$ 518.546,40 em cota parlamentar e não participou de qualquer missão oficial nesta legislatura.

Neste ano, foi a 58 de 60 sessões deliberativas (97% de presença). Em 2016, compareceu a 81 de 94 sessões (86%) e em 2015, 115 de 125 (92%).

O deputado é titular na Comissão de Defesa do Consumidor e de outras quatro comissões especiais. É suplente na Comissão de Relações Exteriores e em outras quatro comissões especiais. Foi suplente na Comissão de Segurança Pública.

Nesta legislatura, a única proposição em que é um dos autores transformada em norma jurídica foi o PL-4639/2016, que deu origem à Lei Ordinária 13269/2016. O texto autoriza a produção e o uso da fosfoetanolamina sintética aos pacientes com câncer.

Em março, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) suspendeu a inclusão de novos pacientes nos testes com a substância conhecida como a “pílula do câncer” porque os testes com 72 voluntários não mostraram evidências de que o produto seja eficiente para combater tumores.

Dos projetos de lei ainda em tramitação, Russomanno relatou, desde 2015, seis propostas, todas na Comissão de Defesa do Consumidor. Quatro foram aprovadas e duas aguardam deliberação.

Tiririca

LÚCIO BERNARDO JR/CÂMARA DOS DEPUTADOS

 

Francisco Everardo Oliveira Silva, conhecido pelo nome artístico de Tiririca, foi o terceiro deputado federal mais votado em todas eleições do Brasil. Em 2014, ele só perdeu para Russomano, ficando com 1.016.796 de votos, o equivalente a 4,84% dos eleitores paulistas.

Desde 2015, compareceu a todas as 279 sessões deliberativas em plenário e nessa legislatura, é titular da Comissão de Cultura e da Comissão de Turismo. O parlamentar não integra outros colegiados nem como suplente.

No mandato atual, não relatou nem foi autor de qualquer projeto que tenha se tornado norma jurídica. No mandato anterior, de 2011 a 2015, a única proposta de sua relatoria que se tornou lei foi a que dá o título de “Capital Nacional do Antigomobilismo” ao município de Caçapava (SP).

Das propostas ainda em tramitação, Tiririca relatou, desde 2015, seis projetos de lei, todos na Comissão de Cultura. Os textos tratam de nomeações de viadutos, da criação do Dia Nacional do Condutor de Ambulância e do Dia Nacional do Zootecnista e do título de “Capital Nacional do Morango” ao município de Atibaia (SP).

De janeiro de 2015 a julho de 2017, gastou R$ 371.180,99 em cota parlamentar e não participou de qualquer missão oficial nesta legislatura.

Jair Bolsonaro

GUSTAVO LIMA / CÂMARA DOS DEPUTADOS

 

Campeão de votos no Rio, Jair Bolsonaro teve apoio de 464.572 (6,10% do total no estado). Desde fevereiro, foi a 49 de 60 sessões deliberativas (82% de presença). Em 2016, compareceu a 89 de 94 sessões (95%) e em 2015, 121 de 125 (97%).

Desde 2015, gastou R$ 807.101,61 de cota parlamentar. O parlamentar está em seu sexto mandato na Câmara dos Deputados.

É titular da Comissão de Educação e da Comissão de Relações Exteriores, além da comissão para acompanhar a crise no Rio. Integrou também a Comissão de Direitos Humanos e a De Segurança Pública em 2015, além do colegiado que analisou o impeachment de Dilma Rousseff em 2016.

Atualmente, é suplente da Comissão de Segurança e de outros dois colegiados. Integrou ainda outras quatro comissões como suplente, incluindo a que discutiu a redução da maioridade penal e a CPI da Funai.

Nesta legislatura, não relatou qualquer proposta que tenha se transformando em lei. Assim como Russomanno, Bolsonaro é um dos autores do PL que liberou a “pílula do câncer”.

Dos PLs em tramitação, Bolsonaro relatou, desde 2015, três projetos de lei. Dois pareceres do parlamentar foram aprovados em comissões e um ainda não foi votado.

Marco Feliciano

LUIS MACEDO / CÂMARA DOS DEPUTADOS

 

Quarto deputado na lista dos com mais votos em 2014, Marco Feliciano foi a escolha de 398.087 eleitores no último pleito, o equivale a 1,90% dos que votaram no estado de São Paulo.

Desde 2015, foram R$ 1.017.199,08 gastos em cota parlamentar. Neste ano, esteve presente em 55 das 60 sessões deliberativas (92%). A assiduidade foi de 94% em 2016 e de 78% em 2015.

Feliciano está no segundo mandato na Câmara e de maio de 2016 a fevereiro de 2017 foi líder do PSC.

É titular da Comissão de Seguridade Social e a de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, além de outros quatro colegiados, sendo um que analisa proposta sobre ensino religioso – no qual é primeiro vice-presidente – e outro sobre aborto.

Também integrou como titular a comissão do impeachment de Dilma Rousseff, a do Estatuto da Família – na qual foi primeiro-vice-presidente -, além das comissões de Constituição e Justiça (CCJ), Direitos Humanos, Educação e de Cultura e quatro CPIs.

Como suplente, faz parte da CCJ e da Comissão de Ciência e Tecnologia e da que discute a Escola sem Partido. Também integrou como suplente as comissões da reforma trabalhista e da Previdência.

Nesta legislatura, não relatou qualquer projeto de lei que tenha se transformado em norma, tampouco é autor de qualquer proposta que tenha dado origem a uma lei.

Dos cinco PLs em tramitação em que foi designado relator nesta legislatura, os pareceres de dois foram aprovados, ambos sobre nomeação de viadutos.

Procurados, os deputados não quiseram comentar a atuação.

huffpostbrasil

Luciano Cartaxo recebe prêmio de melhor gestão da Paraíba: “Estamos no caminho certo”

Na última semana, em entrevista, o governador Ricardo Coutinho disse que o prefeito Luciano Cartaxo faz uma gestão deprimente. Um comentário radical que demonstra uma certa raiva e descompasso com a realidade, já que o que o Conselho Federal de Administração pensa diferente.

Ao receber o prêmio de melhor gestor da Paraíba concedido pelo Conselho Federal de Administração, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD) declarou, na tarde sexta-feira (28), em  Campina Grande, que a cidade está no caminho certo.

Luciano destacou que no sentido de fazer uma governança de qualidade tem buscado o equilíbrio fiscal com redução de despesas,  qualificando os gastos públicos e ampliando a arrecadação do município sem aumentar impostos.

“É uma demonstração que estamos no caminho certo e João Pessoa merece esse prêmio pelo trabalho que nós realizamos e precisamos compartilhar com o vice-prefeito, secretários, auxiliares e a população da cidade”, afirmou.

Pesquisa revela que Lula venceria eleição, mesmo condenado

Na primeira pesquisa eleitoral feita após o julgamento, Lula continua vencendo as eleições em todos os cenários testados pelo Instituto Paraná Pesquisas.

Em uma primeira análise, o candidato do PSDB é o prefeito de São Paulo, João Doria. Neste caso, Lula tem 25,8% da preferência dos eleitores, seguido pelo deputado Jair Bolsonaro (18,7%) e por João Dória (12,3%).

Ainda pontuam na pesquisa o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa (8,7%), os ex-presidenciáveis Marina Silva (7,1%) e Ciro Gomes (4,5%), e o senador paranaense Alvaro Dias (3,5%). Além disso, 15,7% dos entrevistados disseram que não votariam em nenhum dos nomes indicados e outros 3,9% não souberam responder.

Em um segundo cenário, quando o candidato do PSDB é o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, Lula aparece com índice maior, de 26,1%. Bolsonaro continua em segundo, com 20,8% das intenções de voto, seguido por Joaquim Barbosa (9,8%), Geraldo Alckmin (7,3%), Marina Silva (7%), Ciro Gomes (4,5%) e Alvaro Dias (4,1%). 17% dos eleitores não escolheriam nenhum dos indicados, enquanto 3,5% não souberam responder.

O Instituto Paraná Pesquisas também fez simulações de segundo turno. Em todas elas, Lula sairia vencedor. Em uma disputa com Jair Bolsonaro, o petista tem 38,7% da preferência dos eleitores, contra 32,3% do deputado federal. Contra João Doria, seria 38,5% a 32,2% para Lula.