Prefeitura de Bayeux anuncia pagamento dos servidores e mantém compromisso em pagar o salário dentro do mês trabalhado

Apesar da crise e das constantes quedas do Fundo de Participação dos Municípios, o prefeito Luiz Antonio vem mantendo a promessa de pagar o funcionalismo dentro do mês trabalhado, pratica que foi interrompida pelo seu antecessor Berg Lima.

A gestão só vem conseguindo manter o pagamento dentro do mês graças aos cortes em gastos desnecessários e o enxugamento da máquina pública. De acordo com dados do Tribunal de Contas do Estado, em apenas dois meses, o prefeito interino Luiz Antonio reduziu a folha de pessoal de 75% para 64,84%.

A Coordenação de Comunicação informou na tarde desta sexta (29) que os salários dos servidores referentes ao mês de setembro já estão na conta. O pagamento inclui servidores, contratados, efetivos, comissionados, aposentados e pensionistas, exceto os prestadores de serviços da saúde.

Dos pré-candidatos ao Governo, Cartaxo é o único que depende exclusivamente de si mesmo

Favorito na disputa pelo Governo do Estado, Luciano Cartaxo também tem a conjuntura política a ser favor; o que muitos podem entender como sorte, já que o próprio tem fama de sortudo. Cartaxo é o único pré-candidato que depende exclusivamente de si mesmo para disputar a eleição de 2018, diferente de todos os demais nomes.

O pré-candidato do PSB, João Azevedo, é um produto que o governador Ricardo Coutinho insiste em testar pela segunda vez no mercado eleitoral. Tal produto já foi rejeitado em 2016, quando RC resolveu trocá-lo por Cida Ramos. E mesmo que João seja realmente o candidato do PSB, terá sua candidatura enfraquecida caso o governador decida disputar o Senado, passando o governo para as mãos de Ligia Feliciano.

A candidatura do senador José Maranhão só seria viável com o apoio do governador Ricardo Coutinho. Porém, o cenário é impossível, já que RC quer eleger um nome seu (e somente seu) para continuar controlando o governo e mantendo influência na Justiça para se prevenir das bombas que estão a explodir.

Em candidatura solo, sem a máquina do governo, Zé Maranhão certamente passaria o mesmo vexame da eleição para a prefeitura de João Pessoa, em 2012, quando terminou o pleito em quarto lugar, atrás mesmo até de Estela Bezerra. E vale ressaltar que, à época, Maranhão chegou a liderar as pesquisas. Diferente de hoje.

Já Romero Rodrigues, prefeito de Campina, é refém de Cássio e da escolha equivocada do seu vice, Enivaldo Ribeiro. Além de convencer Cássio, majoritário no PSDB, Romero terá que convencer o grupo que sua candidatura não é uma aventura e que a perda do comando da PMCG, reduto tradicional dos Cunha Lima, não vai afetar a sobrevivência do grupo no plano municipal e estadual.

Sendo assim, podemos dizer que Cartaxo é o mais candidato dos pré-candidatos.

E a sorte continua…