Antes tarde do que nunca, governador começa a colocar Ricardo (o galo de Chanteclair) em seu devido lugar

A loucura do galo de Chanteclair consiste em pensar que o sol nasce porque ele cantou. As vezes alguns humanos são contagiados por esta mesma síndrome, a exemplo do ex-governador Ricardo Coutinho.

Ricardo divide a Paraíba em A.R/DR; antes de Ricardo e depois de Ricardo.

É o personalismo típico dos autocratas.

Mas o tempo e o governador João Azevedo estão revelando que RC não é essa Brastemp toda.

Segundo João, Ricardo inaugurou obras inconclusas no final da gestão. “Estou terminando obras que foram consideradas inauguradas em 31 de dezembro, que nem sequer estavam prontas.

O mito começa a ser desconstruído. E a única marca que Ricardo vai levar consigo é a do governo mais corrupto da história da Paraíba.

O galo só precisa ter cuidado de onde continuará vendo o sol nascer para cantar toda manhã…

“PSL se firma com uma candidatura independente”, diz Julian Lemos sobre filiação de Arthur Bolinha

O deputado federal Julian Lemos está otimista com a filiação do empresário Arthur Bolinha ao PSL para disputar a prefeitura de Campina Grande.

Julian aposta na independência política do empresário e acredita que Bolinha incorpora a figura do ‘outsider’.

“A filiação de Bolinha é o início de um novo tempo. O PSL é do povo. Campina terá mais que uma alternativa, não ficará à marcê dos que sugam nossa cidade por décadas. Arthur Bolinha é um empresário que gera riquezas, através de uma mentalidade empreendedora, dentro de um conceito liberal e com valores conservadores. É isso que a sociedade de Campina se identifica”, disse o deputado.

Helton René inova e Procon-JP leva palestra e peça de teatro sobre direito do consumidor para escolas da capital

O Projeto ‘Procon-JP Faz Escola’ da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor levou uma peça de teatro sobre os direitos do consumidor para a palestra na Escola Cidadã Integral Técnica João Roberto Borges (Turma do EJA), no bairro de Mangabeira na noite da quinta-feira, 31 de outubro. A dramatização teatral da Cia Cara Dura, que abriu a palestra, encenou ‘casos’ da relação de consumo que ocorrem rotineiramente na vida das pessoas.

O encontro do Procon-JP com os alunos do EJA da Escola Cidadã Integral Técnica João Roberto também abordou a legislação através da divulgação do Código de Defesa do Consumidor. “Resolvemos inserir o teatro falando sobre os direitos do consumidor nas palestras para que a mensagem fosse mais atrativa e alcançasse o público de forma ágil. A recepção foi acima da expectativa e agora vamos ampliar essa didática para alcançar mais jovens e adultos”, informou o secretário Helton Renê.

O objetivo do projeto ‘Procon-JP Faz Escola’ é a difusão do CDC junto aos jovens e adultos e, através da informação dos direitos, criar disseminadores da legislação consumerista.”O Projeto faz parte da implementação da política nacional que prevê que os procons têm a obrigação de trabalhar a prevenção através da educação, deixando os consumidores mais bem informados e aptos para cobrarem seus direitos”.

Sem dispersão – Helton Renê explica que, para ‘Procon-JP Faz Escola’ alcançar esse público tem que ser criativo de forma atraente, trabalhando o conteúdo através de uma linguagem simples, objetiva e lúdica. “O trabalho

desenvolvido pela Secretaria para divulgação do CDC junto às instituições de ensino é diferenciado porque deve atingir todos os públicos, inclusive adolescentes e jovens. Procuramos fazer esses encontros de forma bem atrativa para que não haja dispersão”, explica Helton Renê.

Agendamento – Qualquer instituição de ensino ou entidade da sociedade pessoense pode solicitar as palestras do ‘Procon-JP Faz Escola’ diretamente à Secretaria, bastando para isso entrar em contato através do telefone 3214-3040 para verificar a disponibilidade da agenda e depois requerer o projeto enviando um ofício de solicitação.

Prestes a ser afastado, prefeito ex-presidiário de Bayeux pede suplementação à Câmara de R$ 118 milhões

As autoridades precisam botar um freio no ex-presidiário Berg Lima. Mantido na gestão por força de uma absurda liminar, Berg está pintando e bordando. Em poucos meses, o menino traquino de Bayeux já pediu R$ 118 milhões em suplementação ao orçamento à Câmara.

Berg sabe que seus dias na prefeitura estão contados, seja por conta do processo de cassação ou da liminar que será julgada ainda este ano no STJ.

A culpa é da Justiça e dos demais vereadores que deixaram a raposa cuidando do galinheiro.

Confira a nota da Câmara Municipal sobre os pedidos de suplementação:

A Câmara Municipal de Bayeux, para fins de esclarecimento, vem através desta nota, comunicar que a Prefeitura Municipal de Bayeux teve o orçamento de 2019 aprovado através da Lei Municipal n° 1.511/2018, na qual a Câmara autorizou o Poder Executivo a promover suplementações de gastos além daqueles autorizados na LOA em 20% do seu total, o que corresponde ao grandioso valor de R$ 39.612.800,00 (trinta e nove milhões seiscentos e doze mil e oitocentos reais).

O município enviou solicitação à Câmara Municipal para uma nova suplementação de 10%, ou o equivalente a R$ 19.806.400,00 (dezenove milhões oitocentos e seis mil e quatrocentos reais), cuja solicitação, passa obrigatoriamente pelos trâmites da casa legislativa através de suas comissões.

É com surpresa que a Câmara Municipal recebe um novo pedido de suplementação hoje (31), mesmo antes do final da tramitação do pedido anterior, desta feita, solicitando 30% ou o equivalente a R$ 59.419.200,00 (cinquenta e nove milhões quatrocentos e dezenove mil e duzentos reais), que, juntos, somam suplementações no exercício de R$ 118.838.400,00 (cento e dezoito milhões oitocentos e trinta e oito mil e quatrocentos reais), faltando apenas dois meses para o final do ano, com o argumento de que será destinado para o pagamento de folhas, que em nenhuma hipótese chegará nem minimamente perto dessas quantias astronômicas.

Cabe ao Poder Legislativo, respeitando a tramitação obrigatória, não assinar simplesmente um cheque em branco, diante, inclusive, das incertezas que têm permeado esse período administrativo e com a atenção necessária, avaliar essa demanda, solicitar explicações do Executivo e tomar as decisões mais adequadas e de melhor encaminhamento às necessidades orçamentárias do município.

Não se pode admitir que a falta de organização da gestão municipal atropele o rito processual da Câmara, sob pena de tornar o processo nulo, enviando um pedido de suplementação de última hora, como se pode observar na imagem, tornando-se impossível receber e aprovar a suplementação no mesmo dia, o que revela o grau de incapacidade técnica e de gestão deste governo.

Jefferson Kita
Presidente da Câmara Municipal de Bayeux

MENINOS NUM VESTEM AZUL? Em vídeo, Bolsonaro diz que quer continuar transando com ex-ator pornô

Dizem que todo homofóbico é um frango que ainda não saiu do armário.

Faz muito sentido.

No vídeo a seguir, o presidente Bolsonaro diz querer continuar transando com o ex-ator pornô e deputado federal Alexandre Frota

Meninos vestem azul e meninas vestem rosa, talquei?

Deputado Pedro Cunha Lima já pediu mais de meio milhão de reais em reembolso à Câmara por gastos com divulgação do mandato