Julian tem mantido coerência com o discurso de 2018, Bolsonaro não

Quem acompanha o blog sabe que faço duras críticas ao deputado federal Julian Lemos. Ou seja, sou insuspeito em defendê-lo. Não que eu concorde com sua ideologia conservadora, muito pelo contrário, temos ideologias abissalmente opostas.

Porém, no caso envolvendo o presidente Jair Bolsonaro, não há como negar que Julian está coberto de razão e se mantém fiel ao discurso de 2018.

Apesar de ter passado mais de 20 anos coçando os ovos na Câmara Federal, Bolsonaro se apresentou na campanha como o antipolítico, mas logo que assumiu o mandato se agarrou ao ‘Centrão’; um conjunto de partidos fisiológicos que faz da política um grande negócio.

Um dos símbolos do Centrão é o deputado Aguinaldo Ribeiro, réu no ‘quadrilhão do PP’ e mais novo queridinho do Mito, postura que Julian tem criticado.

Enquanto Bolsonaro ajuda a implodir a Lava Jato para, por tabela, beneficiar o filho senador no STF, Julian continua defendendo a Lava Jato e os mecanismos de investigação em sua integralidade.

Para proteger interesses pessoais e familiares em detrimento de valores republicanos, vê-se Bolsonaro avançar sobre o comando de órgãos, instituições e entidades públicas que andaram descobrindo coisas que ele não queria que fossem descobertas.

O presidente tenta proteger suspeitos de corrupção, dentro e fora de seu clã. Inclusive, até hoje não demitiu o ministro do Turismo, denunciado no escândalo das candidaturas laranjas.

Bolsonaro quer ter o controle dos órgãos que concentram dados, não para combater corruptos, mas para defender os filhos. Tudo ao contrário do que ele prometeu na campanha.

A mamata continua, inclusive com os milhões gastos com o cartão corporativo da Presidência.

É fácil concluir que Julian tem mantido coerência com o discurso da campanha. Quem mudou foi Bolsonaro.

A ingratidão e a covardia também tem sido a marca do presidente. É só lembrar do que ele fez com Bebbiano, General Santa Cruz, Luciano Bivar, Frota, Magno Malta, entre outros.

Se depender dos petistas do Instituto Lula, João Azevedo já pode se considerar ex-governador

Publicação na página do Instituto Lula já trata Ricardo Coutinho como governador. Ou seja, para os petistas de lá, João Azevedo já é ex.

Será que foi um erro comum ou um ato falho?

Ato falho é um equívoco provocado hipoteticamente pelo inconsciente, isto é, através do ato falho o desejo do inconsciente é realizado.

Consórcio Nordeste consegue economia de R$ 50 milhões em compra de medicamentos

O governador João Azevêdo participou da assembleia do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste), realizada no Palácio do Campo das Princesas, em Recife.

No encontro, foi realizado o balanço da primeira compra coletiva do Consórcio, na área da saúde, que resultou em uma economia de R$ 50 milhões aos Estados da região.

O governador João Azevêdo destacou que a economia de 30% na primeira licitação conjunta reforça a importância do Consórcio Nordeste para o desenvolvimento da região.

“Nós estamos realizando quatro procedimentos para aquisição de medicamentos para os nossos hospitais. Nesse primeiro edital, que engloba dez medicamentos, nós tivemos a oportunidade de economizar R$ 50 milhões para os Estados. Isso demonstra que essa é uma ação muito importante e que esse modelo acertado de compras já gera o primeiro grande fruto em tempos de crise e continuaremos avançando, com economias muito maiores”, pontuou.

Na ocasião, os gestores do Nordeste também manifestaram preocupação com as manchas de óleo que afetam as praias do Litoral nordestino e discutiram temas relacionados ao marco regulatório do saneamento básico, resíduos sólidos, meio ambiente, segurança pública e Projetos de Emenda à Constituição (PEC) que tramitam no Congresso Nacional.

Além disso, eles trataram das pautas relativas à missão na Europa, a exemplo da atuação coordenada para atração de investimentos visando à ampliação do sistema de gás natural.

Os governadores Paulo Câmara (Pernambuco); Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte); Camilo Santana (Ceará); Renan Filho (Alagoas); Wellington Dias (Piauí); e Belivaldo Chagas (Sergipe); além de João Leão (governador em exercício da Bahia) e Carlos Brandão Júnior (vice-governador do Maranhão) estiveram presentes.

Os secretários Gilmar Martins (Planejamento, Orçamento e Gestão), Deusdete Queiroga (Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente); e Nonato Bandeira (Comunicação Institucional); o presidente da Companhia de Águas e Esgoto da Paraíba (Cagepa), Marcos Vinícius; e o chefe de Gabinete do governador, Ronaldo Guerra, também acompanharam a reunião.

VÍDEO: Nadja Palitot confirma pré-candidatura à prefeitura de Bayeux e pede para o eleitor analisar o currículo dos candidatos

Durante entrevista na Arapuan FM, a ex-deputada estadual Nadja Palitot confirmou sua pré-candidatura à prefeitura de Bayeux e pediu para o eleitor analisar o currículo dos candidatos.

“Tenho 23 anos de vida pública e nunca ninguém viu meu nome envolvido em ilegalidades”, disse Nadja.

View this post on Instagram

Nadja

A post shared by FRANCISCO GUTEMBERG CARDOSO (@gutembergc) on

Presidente da Câmara de Bayeux rechaça boatos e justifica o valor da reforma do prédio

O vereador Jefferson Kita, presidente da Câmara Municipal de Bayeux, desmentiu informações divulgadas por setores da imprensa, dando conta de gasto inexistente apenas com a pintura do prédio do legislativo bayeuxense e recente reforma, inaugurada no último mês de agosto. Para o parlamentar, “esse tipo de notícia plantada na mídia” visa apenas confundir a população para desviar o foco dos verdadeiros problemas que assolam a cidade.

Kita ressaltou que o trabalho realizado à frente da Casa Severaque Dionísio tem gerado fatos positivos, citando ações como a doação que vereadores e servidores da Câmara passaram a fazer ao Hospital Laureano, tornando-se pioneira nesse tipo de ação em todo Estado.

“Fiquei surpreso com a matéria, já que a Câmara de Bayeux vem se destacando com uma gestão equilibrada, uma gestão independente, que ganhou credibilidade e que sai na imprensa, não de uma maneira negativa, e sim de maneira positiva, como a primeira câmara a fazer a doação ao Hospital Laureano, por meio de um convênio onde se desconta mensalmente dos salários de vereadores e servidores ajudando o hospital”, disse.

“A Câmara de Bayeux entregou um anexo com mais dois gabinetes, sala de reuniões, estacionamento com garagem, coisa jamais vista na Casa, além de fazer toda reforma e pintura. Podemos dizer que a Câmara hoje está impecável, pois todas as pessoas que a frequentam sentem a diferença. A ‘casa do povo’ tem todo o conforto que ela merece. O dinheiro da Câmara está sendo empregado na própria Câmara, porque o poder é permanente, mas os mandatos são passageiros. Enquanto eu estiver presidente, vou a conduzir de maneira transparente como sempre foi”, completou Kita.

O vereador afirmou não haver fundamento nas denúncias “infundadas” que, segundo ele, buscam desestabilizar a Casa. Kita ainda chamou a atenção para o tamanho da estrutura física da Câmara, que é a terceira maior do Estado.

“A gente recebeu com surpresa essa denúncia que ninguém sabe de onde partiu, até porque não tem fundamentação nenhuma. A Câmara de Bayeux, em termos de estrutura física, poucos sabem, mas está entre as três maiores câmaras da Paraíba. São mais de 300 metros de área construída, com todo um aparato físico significativo. É importante destacar que foi feito o serviço de pintura numa edificação que possui 17 gabinetes, mais cinco salas – entre plenário, galeria, secretaria legislativa, tesouraria e corredores, além de uma área externa muito grande. Aliás, não foi feita só a pintura do prédio, mas também todo um trabalho de restauração de paredes, recuperação de gesso e pintura de muros, comprovando que fizemos a reforma completa”, ressaltou.

“Então, se pararmos para analisar, veremos que R$ 17 mil ficou até abaixo do preço de mercado com esses mais de 300 metros de área construída pintada. Inclusive, o valor de R$ 17 mil da despesa com a nossa reforma está bem abaixo do preço da tabela SINAPI (Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices), que é a tabela que regula os preços de obras públicas”, explicou.

Kita destacou ainda o fato de a Câmara de Bayeux jamais ter feito qualquer gasto com diárias, viagens, cursos ou congressos, diferente, segundo ele, da grande maioria das casas legislativas municipais espalhadas pelo Paraíba.

“Isso nos orgulha bastante, já que somos uma das poucas câmaras da Paraíba que não fez nenhum pagamento de diária, não pagou um centavo de diária, enquanto algumas casas gastaram milhões, outras gastaram quantias significativas e outras nem tanto. Quase todas têm gasto com diárias para viagens e congressos, mas a Câmara de Bayeux, com muito orgulho, é uma das poucas câmaras que não tem um centavo pago a nenhum vereador de diária para nenhuma viagem. A nossa câmara se comporta de maneira austera, transparente e mostrando credibilidade”, finalizou o presidente.

VÍDEO: Operação do Gaeco prende 11 dos 19 vereadores de Santa Rita

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, e a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) desencadearam na manhã desta terça-feira (5) a operação Natal Luz. Af ação resultou na prisão de 11 dos 19 vereadores de Santa Rita, entre eles, o presidente da Casa, Anésio Miranda (PSB). Eles são acusados de terem forjado um “congresso” para justificar o deslocamento para a cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul.

Veja a lista dos vereadores presos

1 – Anesio Alves de Miranda Filho
2 – Brunno Inocencio da Nóbrega Silva
3 – Carlos Antônio da Silva
4 – Francisco de Medeiros Silva
5 – Diocélio Ribeiro de Sousa
6 – Francisco Morais de Queiroga
7 – João Evangelista da Silva
8 – Ivonete Virgínio de Barros
9 – Marcos Farias de França
10 – Sérgio Roberto do Nascimento
11 – Roseli Diniz da Silva

A ação contou também com a participação de policiais civis do estado de Sergipe e do Ministério Público do Rio Grande do Sul. Os vereadores foram presos depois de desembarcarem no Aeroporto Internacional Gilberto Freyre, no Recife. Eles receberam R$ 69 mil em diárias, além de passagens aéreas, para participar de V Seminário Regional de Agentes Públicos.

Hotel onde os vereadores se hospedaram para participar de evento que o MP diz ser forjado. Foto: Divulgação

O evento tinha previsão de ocorrer entre os dias 31 de outubro e 4 deste mês, no Laje de Pedra Hotel Resort, em Gramado. O evento ocorreria no mesmo período do Natal Luz, no principal roteiro turístico do Rio Grande do Sul, que ocorre neste ano entre os dias 24 de outubro de 2019 e 12 de janeiro de 2020. A pedido do Gaeco da Paraíba, membros do Ministério Público do Rio Grande do Sul acompanharam o roteiro dos vereadores paraibanos.

A primeira surpresa deles foi a de que no local indicado pelo folder como endereço do evento, não havia qualquer programação. Depois de uma varredura em pelo menos 30 hotéis, se descobriu que o suposto evento ocorreria no Hotel Villa do Aconchego, em Gramado/RS. E sabe o curioso? O “grandioso” evento promovido pelo Instituto de Capacitação de Agentes Públicos (Icap) contava com a participação apenas dos vereadores paraibanos. Havia uma única exceção, um vereador de Lagarto, em Sergipe.

O Ministério Público, durante a investigação, constatou que as “palestras” ocorreram em dias específicos, por poucas horas, e o resto do tempo era preenchido com passeios pelas cidades de Gramado e Canela. Praticamente todos os vereadores levaram acompanhantes para o “evento”. A palestrante única era Joeli Cruz (SE), que é servidora da Câmara Municipal de Barra dos Coqueiros/SE. A empresa de palestras, vale ressaltar, embolsou R$ 58.200,00 da Câmara de Santa Rita só neste ano. Em 2018, foram mais R$ 49.200,00.

Ao que pese a investigação, basta uma olhadinha no Portal da Transparência da Câmara para descobrir que curso de aperfeiçoamento oferecido a vereadores de Santa Rita é o que não falta. De 2017 até agora, os vereadores da atual legislatura torraram R$ 1,3 milhão de recursos públicos só com diárias. Para esta viagem em específico, no período do Natal Luz, foram pagos R$ 69 mil em diárias. Foram R$ 9 mil para o presidente, Anésio Miranda, e R$ 6 mil para cada um dos outros dez vereadores.

Veja os gastos com diárias ano a ano

2017……………………..R$ 316.711,88

2018……………………..R$ 425.798,00

2019……………………..R$ 585.492,24

Antes de ir para Gramado, os vereadores participaram no mês passado de evento em Natal. O evento foi promovido no Hotel Golden Tulip. Lá, também, foram realizados outros dois ou três eventos neste ano, com participação assídua dos vereadores de Santa Rita. Mas eles também estiveram em Maceió, Foz do Iguaçu (PR), Gravatá (PE), etc. Ou seja, a produção legislativa pode até não ser essas coisas, mas as viagens…

Suetoni Souto Maior

Helton René inova e Procon-JP leva palestra e peça de teatro sobre direito do consumidor para escolas da capital

O Projeto ‘Procon-JP Faz Escola’ da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor levou uma peça de teatro sobre os direitos do consumidor para a palestra na Escola Cidadã Integral Técnica João Roberto Borges (Turma do EJA), no bairro de Mangabeira na noite da quinta-feira, 31 de outubro. A dramatização teatral da Cia Cara Dura, que abriu a palestra, encenou ‘casos’ da relação de consumo que ocorrem rotineiramente na vida das pessoas.

O encontro do Procon-JP com os alunos do EJA da Escola Cidadã Integral Técnica João Roberto também abordou a legislação através da divulgação do Código de Defesa do Consumidor. “Resolvemos inserir o teatro falando sobre os direitos do consumidor nas palestras para que a mensagem fosse mais atrativa e alcançasse o público de forma ágil. A recepção foi acima da expectativa e agora vamos ampliar essa didática para alcançar mais jovens e adultos”, informou o secretário Helton Renê.

O objetivo do projeto ‘Procon-JP Faz Escola’ é a difusão do CDC junto aos jovens e adultos e, através da informação dos direitos, criar disseminadores da legislação consumerista.”O Projeto faz parte da implementação da política nacional que prevê que os procons têm a obrigação de trabalhar a prevenção através da educação, deixando os consumidores mais bem informados e aptos para cobrarem seus direitos”.

Sem dispersão – Helton Renê explica que, para ‘Procon-JP Faz Escola’ alcançar esse público tem que ser criativo de forma atraente, trabalhando o conteúdo através de uma linguagem simples, objetiva e lúdica. “O trabalho

desenvolvido pela Secretaria para divulgação do CDC junto às instituições de ensino é diferenciado porque deve atingir todos os públicos, inclusive adolescentes e jovens. Procuramos fazer esses encontros de forma bem atrativa para que não haja dispersão”, explica Helton Renê.

Agendamento – Qualquer instituição de ensino ou entidade da sociedade pessoense pode solicitar as palestras do ‘Procon-JP Faz Escola’ diretamente à Secretaria, bastando para isso entrar em contato através do telefone 3214-3040 para verificar a disponibilidade da agenda e depois requerer o projeto enviando um ofício de solicitação.

Representante de militares: “Bolsonaro nos traiu, PSOL e PT nos defenderam

As cenas de comoção protagonizadas por militares graduados da reserva circularam freneticamente nas redes sociais, na terça-feira 29. Naquele dia, vários deles foram à Câmara pressionar os deputados federais para tentar reverter as perdas que o projeto de reforma da Previdência criado pelo governo impôs a essa fatia das Forças Armadas. O esforço foi em vão.

Muitos deles foram às lágrimas e se sentiram traídos pelo presidente Jair Bolsonaro, a quem apoiaram fervorosamente na corrida eleitoral. “Na campanha, ele prometeu que ia resolver a questão salarial, disse que o salário dos sargentos está muito baixo”, comenta Adão Farias, sargento da Aeronáutica da reserva e diretor de coordenação política da Federação Nacional dos Militares Graduados Inativos das Forças Armadas. “Mas aí, olhamos o projeto da reforma da Previdência e constatamos que estava beneficiando somente a cúpula”.

Os graduados não gostaram de ver que o governo privilegiou os oficiais superiores, enquanto eles tiveram reduzidos os valores de adicionais de disponibilidade (ganho pelo fato de o militar ser obrigado a ficar completamente disponível para a força) e habilitação (recebido de acordo com os cursos feitos por cada um), além de outros benefícios.

Em uma reviravolta surpreendente, os militares que antes colocavam fé em Bolsonaro foram defendidos na votação da Câmara por deputados do PSOL e do PT. “A sargentada representa 80% da tropa”, afirma Farias, em entrevista à coluna. “Com esses, o presidente perdeu seu capital político para sempre”.

UOL – Por qual motivo os graduados direcionaram seu protesto contra o presidente Bolsonaro?

Adão Farias – É muito simples de entender: pelo discurso de campanha que ele fez. Bolsonaro se manteve 30 anos como deputado porque teve apoio dos graduados dentro dos quartéis, da sargentada, que representa 80% da tropa. Na campanha, prometeu que ia resolver a questão salarial, disse que o salário dos sargentos está muito baixo. A maioria dos suboficiais que sai das Forças Armadas e vai para a reserva sai num dia e no outro vai trabalhar de motorista de táxi ou de Uber. Bolsonaro prometeu melhorar isso. Mas aí, olhamos o projeto da reforma da Previdência e constatamos que estava beneficiando somente a cúpula. Os generais vão para uma remuneração de R$33.900,00.

O protesto está voltado para Bolsonaro porque esse projeto de reforma é de iniciativa exclusiva do presidente, foi ele que enviou à Câmara. É privativo dele tratar de salário e reestruturação da carreira militar. Então foi ele que enviou, está havendo protesto contra o presidente porque a responsabilidade é dele, podia ter melhorado o projeto e não melhorou.

As associações representativas dos graduados tentaram contato direto com Bolsonaro?

Todas as associações tentaram chegar ao presidente e não conseguiram. O vice-presidente chegou a receber um grupo e depois passou para a assessoria. Tentamos negociar com o Ministério da Defesa, eles recusaram. Tentou-se negociar com o líder do partido do governo, Major Vitor Hugo, não tivemos sucesso. Fizemos esse esforço durante seis meses para que eles nos ouvissem para corrigir o projeto, mas ninguém nos recebeu.

Ouvimos várias vezes dentro do Congresso: “É para ser aprovado desse jeito, é assim que o Ministério da Defesa quer”. O próprio relator falou isso. Numa audiência pública na Câmara dos Deputados ele disse: “eu fui escolhido pelos comandantes militares para ser o relator desse projeto”. Isso causou perplexidade: quer dizer que os comandantes escolhem o relator de um projeto de lei que é de interesse deles?

Quais partidos apoiaram a causa de vocês?

A comissão foi formada com 44 deputados de todos os partidos. Algumas legendas disseram que iam apoiar e depois pularam fora. O DEM por exemplo. O PSL foi o tempo todo contra, o Major Vitor Hugo disse que não apoiaria. Quem ficou do nosso lado foi o PT e o PSOL.

Não é curioso que justamente os partidos apontados como “comunistas” e inimigos pelos militares na campanha eleitoral tenham ficado ao lado de vocês?

O que nós vimos foi isso. O partido do governo que dizia que resolveria a questão dos militares ficou contra melhorias no projeto. O PT e PSOL votaram a favor dos graduados. Vi vários militares agradecendo o apoio ao PSOL, vi inclusive entrevistas de militares dizendo que votam no Glauber e no Freixo e não votam mais nos deputados da base do governo e nem no Bolsonaro. Isso pra mim foi uma surpresa, porque esses militares sempre estiveram alinhados com Bolsonaro. O PSL era um partido insignificante e se tornou grande com o apoio dos militares. Não esperava isso. Na hora que o cara se sente traído, o sentimento é terrível.

Esse sentimento é generalizado ou restrito a algum grupo?

Pelo fato de atuar com as associações, participo de pelo menos 20 grupos de WhatsApp e Telegram. Posso dizer que a indignação vai do Oiapoque ao Chuí.

Acha que o presidente Bolsonaro pode reverter esse sentimento de decepção?

Acho difícil que ele reverta isso. O capital político que ele tinha com os graduados se perdeu.

E o argumento de que seria muito dispendioso atender as reivindicações de vocês?

Contratamos um matemático que desmente o impacto financeiro caso os graduados fossem beneficiados. Não seria de R$ 130 bilhões em dez anos, mas de R$ 10 bilhões. Inflaram o número para causar impacto.

Outra coisa: dentro da comissão estavam os generais. O Ministério da Defesa mantém uma assessoria parlamentar dentro do Congresso. São coronéis, partes interessadas no projeto como está, porque levam as maiores gratificações. Atuam diretamente nos gabinetes dos deputados, exerceram uma pressão muito forte para que não o projeto não fosse mudado.

Chico Alves

Pâmela Bório nega que tenha feito acordo com Ricardo Coutinho autorizando viagem do filho à Europa

Em contato com o blog, a ex-primeira-dama Pamela Bório negou que tenha realizado acordo na Justiça autorizando a viagem do filho à Europa.

Pâmela justifica dizendo que o filho não está bem na escola, e que duas semanas de faltas irá prejudicá-lo ainda mais nos estudos.

“Eu jamais concordaria em passarem por cima de meu poder familiar”, postou Pâmela neste final de semana.

As postagens da ex-primeira-dama são, como afirmou em redes sociais, reação a várias reportagens veiculadas na mídia, indicando ter havido um acordo para o ex-governador levar seu filho para a Espanha. “Isso é mentira. Ocorreu o contrário: foi o Judiciário que autorizou que ele tirasse o passaporte e viagem internacional de 15 dias do menor, meu filho, em pleno período letivo.”

Considerado o Sérgio Cabral da Paraíba, Ricardo Coutinho chegará inteiro em 2020?

O dia em que Gervásio Maia pediu exoneração de Waldson e rescisão do contrato com a Cruz Vermelha

Sim, o deputado federal Gervásio Maia já esteve do lado certo da história. Mas faz um bom tempo.

Antes de ser ‘seduzido’ pelas facilidades do generoso governo do PSB, Gervásio considerava um “caos total” a situação do hospital de Trauma, gerido à época pela corrupta Cruz Vermelha.

O ano era 2013, antes do vergonhoso 7×1 da Copa de 2014:

“O que vimos hoje lá no Trauma está mais para um matadouro que para Hospital, é um foco de contaminação”, dissera o então oposicionista Gervásio Maia.

O mais interessante é que de lá pra cá, a Cruz Vermelha continuou corrupta, porém, o que mudou foi o juízo de valor do nobre parlamentar.

Que coisa.

Metido a liberal, Pedro Cunha Lima pede reembolso de mais de R$ 15 mil em combustível à Câmara; percorrendo, em tese, 31.500 km em 8 meses