Prefeitura lança ‘Conde Digital’ e adota sistema para digitalização de documentos e redução do uso de papel

A Prefeitura de Conde, no Litoral Sul da Paraíba, promove o lançamento, nesta segunda-feira (6), de um sistema para digitalização e redução do uso de papel nas repartições e órgãos que compõem a estrutura da gestão municipal. Além de estimular a adoção de boas práticas, a implantação do ‘Conde Digital’ prevê uma redução nos gastos com o material de expediente que são custeados pela prefeitura.

A prefeita Karla Pimentel ressaltou a importância da iniciativa e disse que a cidade sai na frente para entrar de vez na era do papel zero. A expectativa, segundo ela, é que o programa estimule a adoção de práticas sustentáveis que auxiliem na preservação do meio ambiente. “Estamos lançando esse programa inovador em nosso município, estimulando a conscientização da população para reduzirmos o uso de papel e consequentemente adotarmos, cada vez mais, práticas que auxiliem na preservação do meio ambiente”, disse.

A prefeita explicou que a ferramenta vai facilitar ainda mais o acesso da população aos serviços que são oferecidos pelo município a qualquer hora do dia e evitando a necessidade de deslocamento. Ela ressaltou que através da plataforma será possível, por exemplo, digitalizar documentos e informações públicas, rastrear os processos administrativos de ponta a ponta, entre outros serviços.

O secretário de Administração, Rodrigo Trigueiro, um dos entusiastas da iniciativa, disse que o ‘Conde Digital” vai revolucionar a administração pública no município, garantindo mais transparência e agilidade da máquina pública. “A ferramenta traz o que há de mais moderno para o nosso município, que sai na frente e vai servir de modelo para todo o estado”, destacou.

O lançamento do ‘Conde Digital’ acontece nesta segunda-feira (6), às 16h, na Pousada Aruanã.

Moro diz que Bolsonaro comemorou quando Lula foi solto

Sergio Moro afirmou nesta quinta-feira (2), em entrevista à Jovem Pan Paraná, que Jair Bolsonaro (foto) comemorou quando Lula foi solto em 2019.

A Justiça Federal determinou a soltura com base em uma mudança de entendimento do STF sobre a prisão após condenação em segunda instância. Segundo Moro, Bolsonaro não trabalhou para tentar reverter a decisão.

Moro voltou a dizer que, enquanto esteve no Ministério da Justiça, o presidente sabotou seu trabalho e o combate à corrupção.

“Ele não fez nada disso. Ao contrário, começou a sabotar o que eu fazia. Até que chegou em um momento que eu simplesmente saio [da pasta].”

O Antagonista

6Sigma, o instituto negacionista

Ninguém entende o motivo, mas o instituto de pesquisa 6Sigma, de Campina Grande, está se autossabotando. Pela segunda vez no ano, a 6Sigma é o único em todo o Brasil a divulgar uma pesquisa com o presidente Jair Bolsonaro (31,7%) à frente de Lula (26.1%)

Datafolha, Paraná Pesquisas, IPESP, Poder Data, IPEC, exatamente todos os institutos do Brasil são unânimes ao confirmar o favoritismo do ex-presidente Lula, que em alguns levantamentos chega a ter quase o dobro das intenções de votos para presidente.

A crise econômica que o país enfrenta, com a gasolina a quase R$ 7, inflação chegando a 12% e desemprego em alta, não dá a Bolsonaro o primeiro lugar nas pesquisas nem numa roda de milicianos.

O que restou de credibilidade da 6Sigma foi para a lata do lixo nesta quarta-feira, 01. Será que algum político na Paraíba terá coragem de contratar os serviços do instituto?

Terrivelmente evangélico, Mendonça diz que vai defender o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo

André Mendonça (foto) disse há pouco, em sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que defenderá o “direito constitucional do casamento civil das pessoas do mesmo sexo”, caso seja aprovado para ocupar uma vaga no STF.

“Eu defenderei o direito constitucional do casamento civil das pessoas do mesmo sexo. Se houver uma discussão no Supremo sobre esse assunto, os senadores podem ter certeza de que  respeitarei os mesmos direitos civis”, afirmou o “terrivelmente evangélico”.

Reprovação das contas de Ricardo Coutinho na ALPB beneficia Efraim e Aguinaldo

Preso na Operação Calvário e acusado de chefiar uma organização criminosa que roubou mais de R$ 130 milhões da Saúde, Ricardo Coutinho é ficha suja, mas por outro motivo, uma condenação no Tribunal Superior Eleitoral.

Mas o malandro pode ganhar outro carimbo na sua ficha nada limpa: a reprovação das contas de 2016 e 2017 na Assembleia Legislativa. O parecer do TCE pela reprovação foi aprovado por unanimidade.

A preço de hoje Ricardo está enquadrado na lei da ficha limpa, pois sua inelegibilidade ultrapassa o dia da eleição. Mas, como no nosso judiciário existem vários Gilmar Mendes, é provável que o ex-presidiário tente uma liminar para concorrer ao Senado.

Logo, a reprovação das contas na Assembleia Legislativa, seguindo o parecer do TCE, afastaria de vez o ex-governador das urnas. E beneficiaria Efraim Filho e Aguinaldo Ribeiro, segundo e terceiro colocados, respectivamente, nas pesquisas de intenção de voto onde o ex-governador tem o nome estimulado.

Sem candidato ao governo, PSDB adota comportamento de Cartaxo na eleição de 2020

Após a desitência de Romero Rodrigues na disputa pelo governo do estado, o PSDB está cometendo o mesmo erro do ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, na eleição de 2020. Cartaxo protelou ao máximo, e aos 45 minutos do 2° tempo escolheu a pior candidata possível. O resultado todos conhecem.

Em desvantagem na atual conjuntura política estadual, o PSDB não deveria copiar Cartaxo, mas vai. E tudo indica que o candidato a governador não seja anunciado antes do Carnaval.

A Paraíba aguarda um desfecho para o triângulo amoroso de João Azevedo, Romero e Veneziano

Bons tempos aqueles quando o eleitor sabia quem era quem na política paraibana. De uns anos pra cá, todo mundo conversa com todo mundo e ninguém mais sabe quem é oposição ou situação. O senador Veneziano, por exemplo, está no governo de João Azevedo, mas quer ser candidato pela oposição e já iniciou diálogos com grupos antagônicos ao governador.

Romero Rodrigues era o principal candidato da oposição até poucas semanas, recuou para um aliança com o governador João Azevedo, mas depois recuou de novo e ficou em cima do muro. E desde então não se decide pra nada.

O ano está acabando, e o triângulo amoroso entre os três deverá perdurar até 2022. Mas só um vai sair chorando…

 

Lula pode matar 2 tucanos com uma pedrada só

Muitos acreditam que a política é a segunda profissão mais antiga do mundo. Lula e Geraldo Alckmin se esforçam para demonstrar que ela se parece muito com a primeira. A variante que resulta da cruza hipotética de um petista com um prototucano era coisa de ficção científica. Mas Alckmin pareceu infectado pela ideia de virar vice numa chapa encabeçada por Lula ao declarar para um grupo de dirigentes sindicais que a negociação “caminha”.

Antes das prévias do PSDB, Alckmin estava com um pé fora do partido. Depois da vitória do desafeto João Doria, tirou os dois pés do ninho. A escolha do futuro partido sinalizará que planos Alckmin traçou para 2022. Se escolher o PSD de Gilberto Kassab, disputará o Palácio dos Bandeirantes. Se optar pelo PSB, concorrerá à poltrona no gabinete do vice-presidente da República, no prédio anexo ao Palácio do Planalto.

A eventual tucanização da chapa de Lula deslocaria a candidatura presidencial do PT da esquerda para uma avenida mais próxima do centro, paralela à chamada terceira via. Além de suavizar uma candidatura que Bolsonaro apresentará como assombração do socialismo, Lula mataria dois tucanos com uma pedrada só. Retiraria Alckmin do caminho do PT e São Paulo. E potencializaria as chances de Fernando Haddad, postulante do PT ao governo paulista, na disputa contra o vice-governador Rodrigo Garcia, candidato fabricado por João Doria à sua própria sucessão.

A prioridade de Alckmin é derrotar Doria. Na conversa com os sindicalistas, disse que se preparou para a disputa estadual. Mas admitiu o surgimento de uma nova cepa política, que chamou de “hipótese federal.” É como se Geraldo Alckmin contemplasse a alternativa de responder ao Bolsodoria, variante de 2018, com uma mutação viral da espécie Lulamin. Ou Lulaldo.

Josias de Souza

Ruy critica despejo na comunidade Dubai: “as famílias continuam sem os requisitos mínimos de direitos humanos”

O deputado federal Ruy Carneiro apresentou na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados requerimento para formar uma comissão para averiguar a situação desumana em que estão sendo tratadas as quase 300 famílias que foram despejadas da comunidade Dubai, em Mangabeira VIII. “A prefeitura da capital e governo da Paraíba têm que cumprir os requisitos mínimos de direitos humanos, das medidas sanitárias em virtude da pandemia internacional de saúde pública. Estas famílias são vitimas de uma ação desumana e desastrosa”, disse Ruy.

O parlamentar expressou durante a sessão desta terça-feira(30) na Câmara, a preocupação com mulheres, crianças e idosos que fazem parte dessas famílias, destacando a falta de capacidade de planejamento da prefeitura de João Pessoa para realizar a ação.

“É preocupante quem em plena pandemia estejam acontecendo aglomeração de pessoas, ausência de condições sanitárias satisfatórias, falta de assistência em relação a itens básicos como colchões, cobertores, toalhas e materiais de higiene pessoal, muitas famílias não possuem sequer seus documentos pessoais, que foram impedidos de retirá-los durante a operação de desocupação da área”, disse.

Uma semana se passou e as famílias não receberam auxílio moradia, nem assistência integral da prefeitura, diversas irregularidades já foram apontadas pelo Ministério Público da Paraíba.