PSB e RC soltaram a mão de Anísio Maia, menos Genival Matias

Às vezes a solidariedade vem de onde menos se espera. É o caso do suplente de deputado estadual Anísio Maia, que só vai assumir a titularidade graças ao gesto do colega Genival Matias.

O “ninguém solta a mão de ninguém” que Ricardo Coutinho disparou em evento oficial do governo era só um ‘migué’ pra acalmar a fera Livânia Farias, mas nem pra isso serviu, pois a delação do fim do mundo já rolou.

A atitude de Genival Matias se contrapõe à ingratidão do PSB e Ricardo Coutinho com o PT paraibano, que pela primeira vez em 20 anos ficou sem um representante na ALPB.

Se dependesse do governador de fato (Ricardo Coutinho) e do preposto de governador (João Azevedo), Anísio Maia passaria 4 anos plantando mamão na sua mega-fazenda em Araçagi.

Agora que não vai mais cultivar mamão, Anísio Maia precisa ter cuidado para o MST não invadir a terra improdutiva.

 

Sem prestígio no governo do Poste, PT fica sem representação na Assembleia após 20 anos

“Neste governo ninguém solta a mão de ninguém”, dizia Ricardo Coutinho após a prisão de Livânia Farias, sua mulher de confiança. Mas era só um gesto para acalmar a mulher-bomba, porque solidariedade nunca foi o forte do ex-governador.

Prova disso é o que o PT vive seu pior momento na política paraibana e pela primeira vez em 20 anos o partido não tem um representante na Assembleia Legislativa, apesar de Anísio Maia ocupar a primeira suplência.

O preposto de governador tem preterido o PT, tanto no governo como na ALPB. A articulação do governo priorizou Jutay Meneses, até então da oposição, e Lindolfo Pires. Mas o PT continuou chupando dedo e sem um único representante no parlamento estadual.

Com Luiz Couto é a mesma coisa. Informações obtidas pelo blog dão conta do total isolamento do padre na secretaria que ocupa.

O PT precisa cobrar do governador de fato, Ricardo Coutinho, pois o preposto não tem dado muita moral para a legenda.

Mas o problema é que Ricardo Coutinho só quer ser amigo do PT quando convém e pra ganhar tempo de TV…

Frei Anastácio se solidariza com Anísio Maia: “Eu esperava que o PT tivesse sido mais respeitado no governo de João Azevedo”

O deputado federal Frei Anastácio fez um desabafo sobre a relação do governo do PSB com o PT. O partido ficou sem representação na Assembleia depois de entrar numa coligação que prejudicou Anísio Maia, primeiro suplente.

“Eu esperava que o PT tivesse sido mais respeitado no governo de João Azevedo”, disse Frei Anastácio.

Frei se queixa da falta de reciprocidade do governo, que não tem se esforçado para que o PT tenha representante na ALPB.

“Eu acho que Anísio Maia poderia voltar à Assembleia. Um deputado quem tem um conteúdo bom e faz a diferença”, defendeu Anastácio.

Em 2018, o PT saiu menor do que entrou. Mas parece que o PSB só cuida dos seus…

https://twitter.com/i/status/1100390408738271235

Polítika com informações de Maurílio Júnior

Anísio Maia capota, mas não cai

Impressiona a energia do deputado estadual Anísio Maia, com quase 70 anos de idade, mas com a mesma vitalidade de quando fundou o PT, há 38 anos. O petista capotou o carro na última sexta (23), mas no sábado já estava em campanha pelo interior. E no domingo de manhã foi flagrado fazendo panfletagem em Cruz das Armas, ainda com curativos.

Anísio Maia denuncia abandono do Terminal Pesqueiro de Cabedelo; confira as imagens

O deputado estadual Anísio Maia (PT) denunciou nesta quinta-feira (14) a situação de abandono do Terminal Pesqueiro Público (TPP), no município de Cabedelo, na Grande João Pessoa. Inaugurado em 2010, o equipamento construído pelo antigo Ministério da Pesca e Aquicultura, custou cerca de R$ 11 milhões em investimentos e ocupa uma área de 10 mil metros quadrados.

“Quando nós inauguramos o Terminal Pesqueiro ele contava com ancoradouros, cais de acostagem, galpão industrial, câmaras frigoríficas e fábrica de gelo com capacidade de beneficiar diretamente cerca de três mil pescadores e gerar outros milhares de empregos indiretos, desenvolvendo este potencial econômico de Cabedelo”, disse o deputado.

Em 2013, ainda durante o governo Dilma, o TPP passou por uma reforma para adequação e manutenção.   Em visita ao Terminal, que faz parte do patrimônio da União, Anísio Maia constatou uma completa situação de abandono. “O equipamento está completamente sucateado e exposto a saques. O governo golpista é o responsável por esta situação que mostra o seu desinteresse em ajudar aos pescadores do Brasil”.

O petista acredita que só com a mudança do atual governo federal o setor pesqueiro voltará a receber a atenção que já teve anteriormente.  O parlamentar disse ainda que denunciará ao Ministério Público Federal a situação do TPP para que para que os responsáveis pelo descaso sejam implicados.  “Em meio a uma crise econômica, é inadmissível que um equipamento que custou milhões ao erário se encontre em uma situação como esta, quando poderia gerar emprego e renda para a população”, concluiu.

ANÍSIO MAIA: “Veneziano quando colocou Temer no poder, foi responsável por toda essa desgraceira que está acontecendo no Brasil”

O deputado estadual Anísio Maia (PT) afirmou durante entrevista ao jornalista Gutemberg Cardoso no programa Master News da última quinta-feira (10), que Veneziano é responsável pelo governo Temer e precisa ser coerente com seus atos.

“Veneziano quando colocou Temer no poder, foi responsável por toda essa desgraceira que está acontecendo no Brasil, todos os direitos suprimidos, as vendas das estatais e etc. Então tudo que ele fizer agora pouco importa, é só paliativo. Ele contribuiu com isso que está acontecendo no país, ele votou pelo congelamento dos gastos públicos, que foi uma coisa terrível, teremos vinte anos de precarização da educação e da saúde. O voto dele posterior não desfaz aquilo que já foi feito. Político tem que ter coerência”.

Anísio Maia manda recado para João Azevedo: “Água e óleo não se misturam, quem conseguir misturar ficará sem água para beber e sem óleo para usar”

O deputado estadual Anísio Maia (PT) defendeu neste domingo (6) a construção de uma frente de democrática na Paraíba para as eleições deste ano. Para ele, não há motivos para as forças de esquerda seguirem caminhos separados: “Estivemos juntos nas eleições de 2014, estivemos juntos contra o golpe em 2016, estamos juntos deste então contra as ações do governo Temer e juntos na defesa do presidente Lula. Por que vamos nos dividir agora?”

Anísio Maia acredita que a atual conjuntura política nacional terá grande impacto nos estados e que a forte polarização ideológica não deixará espaços para meios-termos: “Aqui na Paraíba quem busca o poder pelo poder é a oposição. Nós temos que nos pautar por ideias. Unir as forças populares e democráticas é o melhor caminho para futuras vitórias. Aliados circunstanciais podem nos levar novas a derrotas”, afirmou.

Para o parlamentar, a força política do presidente Lula faz com que muitos políticos e partidos golpistas no Nordeste procurem atenuar suas posições e buscar aproximação com forças mais à esquerda. “O que serve para Temer não serve para o povo. Será que estes golpistas ficaram confiáveis agora? Particularmente não acredito que nossos verdadeiros adversários terão mais valor que os aliados ideológicos na construção das coligações”. E acrescentou: “As forças de esquerda serão vitoriosas em todo Nordeste e na Paraíba não será diferente”.

Neste sentido o petista avaliou as eleições na Paraíba: “João Azevedo não deve cometer os mesmos erros que Dilma, que pagou muito caro pelas alianças que fez. Conseguiu fazer uma maioria que trabalhou contra seu governo e a golpeou. O momento é de unidade e a luta pelo poder não pode dividir a frente democrática. Água e óleo não se misturam, quem conseguir misturar ficará sem água para beber e sem óleo para usar”, concluiu.

Anísio Maia diz que Ricardo Barbosa não esqueceu seu passado Cunha Lima

O deputado estadual Anísio Maia (PT) afirmou que o seu colega de parlamento, o deputado Ricardo Barbosa (PSB), Primeiro Secretário da Mesa Diretora, induziu o Plenário a erro na tarde desta quinta-feira (25) em sessão da Assembleia Legislativa da Paraíba. A divergência entre ambos deu-se com a rejeição do ofício expedido pelo petista que pedia a inserção do nome Lula em nome parlamentar, no painel e nos documentos da Casa.

A argumentação do deputado Ricardo Barbosa reivindicou o art. 4º do Regimento Interno, segundo o qual o nome parlamentar deve se definido até o dia 28 de janeiro de cada legislatura. Anísio Maia lembrou, no entanto, que o regimento interno é omisso quanto às possibilidades de mudança.

“O Regimento não diz absolutamente nada quanto à mudança de nome parlamentar. Entretanto, o Art. 322 é claro quando diz que os casos omissos serão decididos pela Mesa ad referedum do Plenário. Porém, se for preciso, apresentar proposta de mudança regimental assim farei, porque não cabe ao deputado Ricardo Barbosa discutir como algum colega de parlamento deseja ser chamado ou fazer ingerência na autonomia de outro mandato”, disparou Anísio Maia.

Para Anísio Maia a condução do Primeiro Secretário da Mesa expressou sua orientação política e não o estrito cumprimento do regimento: “O deputado Ricardo Barbosa tem saudades de seu passado Cunha Lima. Para ele, que já chamou Lula de ladrão no Plenário, deve ser muito difícil ficar ao lado do governo Ricardo Coutinho ouvindo elogios ao presidente Lula.” E acrescentou: “Não satisfeito com a manobra regimental que fez, o deputado quis discutir o mérito de minha decisão tentando depreciá-la. Quem deve opinar a este respeito são meus eleitores e o meu partido.”

Para concluir Anísio Maia provocou: “Esta não é uma questão menor, é um movimento simbólico em defesa da democracia. Casas Legislativas por todo país, inclusive o Congresso Nacional, receberam propostas de nome por partes de diversos parlamentares. Nós, que defendemos o presidente Lula, representamos grande parte dos brasileiros e temos legitimidade para isto. Mas, o deputado pode ficar tranquilo que terá nosso apoio se resolver assumir suas concepções e passar a se chamar Ricardo Temer Barbosa.”

Anísio Maia chama Veneziano de oportunista

O deputado estadual Anísio Maia, do PT, partiu para o ataque contra o que classificou de postura ‘oportunista’ do deputado federal e pré-candidato ao Senado Federal, Veneziano Vital (PSB), que usou as redes sociais, nesse final de semana, para se posicionar contrário a prisão do ex-presidente Lula (PT).

E o deputado Anísio reagiu da seguinte forma: “É um verdadeiro oportunismo político. Diante da popularidade de Lula, nesse momento que o Brasil vive, esse povo, mais uma vez, quer pegar carona pra passar uma imagem que ele não tem. Todo mundo sabe que esse golpe de estado, feito como apoio do deputado Veneziano e de outros parlamentares da Paraíba, foi que criou as condições para a prisão de Lula. Foi tudo combinado e planejado para derrubar uma presidente honesta, colocaram no poder uma gangue e depois partiram para cima de Lula para inviabilizar a sua candidatura. Então Veneziano foi um dos que apoiou essa trrama”.

O parlamentar foi mais além e avisou que só votará na chapa encabeçada pelo ex-secretário João Azevêdo (PSB) se na chapa não tiver o que ele classifica de ‘golpistas’.

“Nós vamos votar em João evidentemente se na chapa não tiver golpistas. Nós já estamos avisando isso há mais de seis meses. Não adianta dizer que não voto num golpista e chegar na hora votar num golpista. Assim eu vou ficar desmoralizado. Vamos lançar uma chapa avulsa para o Senado, vamos procurar candidatos para votar neles. De antemão, votar em Veneziano não há nenhuma chance”, disparou.

PBAGORA