Rachel Sheherazade detona filho de Bolsonaro e inicia guerra nas redes sociais

Na última quinta-feira, 07 de fevereiro, a jornalista Rachel Sheherazade voltou a causar polêmica após criticar o filho do Presidente Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro.

Em suas redes sociais, a âncora do Jornal do SBT causou polêmica ao ironizar as notícias à respeito do Senador Flávio Bolsonaro.

Rachel compartilhou uma notícia divulgada pelo Estadão em que dizia que Flávio faz parte da Mesa Diretora do Senado e terá quase R$ 500 mil por mês para contratar comissionados.

Sem papas na língua, a jornalista disparou: “Perguntar não ofende: Os comissionados receberão seus salários integrais ou terão que depositar uma parte na conta do Queiroz?”, escreveu ela.

Na web, o comentário da jornalista logo repercutiu e gerou bastante briga entre os internautas, que se dividiram em apoiar e criticar a fala de Rachel

FANTASMA: Filha de Maranhão recebeu R$ 700 mil do gabinete de Vitalzinho, sem trabalhar, denuncia senador Lira

O senador Raimundo Lira denunciou nesta quinta-feira, 03, durante um programa de rádio, que Maria Alice Maranhão, filha do também senador José Maranhão, recebeu entre os anos de 2011 e 2014, um salário de R$ 14 mil por mês, sem trabalhar, no gabinete do ex-senador e ministro do TCU, Vital do Rêgo.

“Quando eu assumi chamei Maranhão para conversar e acertei a saída dela, que recebeu cerca de R$ 14 mil por mês sem dar um dia sequer de ponto”, afirmou Lira. Ele ressalta que tentou propor a José Maranhão que os recursos recebidos por sua filha, no montante total de R$ 700 mil, fossem devolvidos ao Tesouro Nacional. “Um apelo que não tive como fazer de forma privada”, explicou.

Confira a entrevista de Raimundo Lira:

Vereador denuncia que irmã de Ricardo Coutinho é funcionária fantasma na prefeitura do Conde

Durante a sessão da Câmara Municipal do Conde, na última segunda-feira, 23, o vereador Malba de Jacumã denunciou que a irmã do governador Ricardo Coutinho, Sandra Coutinho, é funcionária fantasma na cidade e recebe sem dar expediente.

De acordo com os dados da secretaria de Administração, Sandra Coutinho é contratada e deveria trabalhar na secretaria de Comunicação, mesmo sem ter formação acadêmica na área. O vereador afirma que ela não exerce nenhuma função na cidade, mas recebe mensalmente salário como contratada pela prefeitura.

A denúncia do vereador não é nenhuma novidade, pois há anos a irmã de Ricardo Coutinho vive pulando de prefeitura em prefeitura atrás de emprego. Sandra já trabalhou na prefeitura de João Pessoa, Bayeux e no Conde durante a gestão da ex-prefeita Tatiana.