Em novo áudio vazado, secretário de Cartaxo mostra descrença com a pré-candidatura de Diego Tavares

De acordo com a animação do secretário Benilton Lucena, a pré-candidatura de Diego Tavares não tem empolgado muita gente na gestão do prefeito Luciano Cartaxo.

Ou seja, a opinião de Zennedy Bezerra não é isolada.

Em mais um áudio vazado – já virou moda na gestão de Cartaxo, e dizem que tem um guardado com ‘carinho’ para setembro de 2020 – Benilton Lucena comenta a candidatura de Diego Tavares: “Não sei se tem potencial e vai conseguir… [Cícero] é o único quem tem condição de fazer uma cócega, porque Ricardo vem com todo o caralho”.

Parece que para se viabilizar eleitoralmente, Diego Tavares precisa primeiro convencer seus pares internamente da viabilidade da sua candidatura.

Acho que o secretário queimou a largada e não combinou com os russos.

 

Prefeitura de CG emite nota sobre a liminar da 3ª Vara da Fazenda que suspende doação de terreno à Vila Sítio São João

Sobre a decisão liminar, tomada na tarde desta terça-feira, 26, pelo juízo da 3ª Vara da Fazenda Pública, suspendendo o processo de doação de terreno à Vila Sítio São João, a Prefeitura de Campina Grande vem a público informar:

1 – Ainda não houve qualquer notificação da decisão junto à Procuradoria Geral do Município;

2 – Tão logo seja notificada, a Administração Municipal fará uma avaliação criteriosa sobre o teor da liminar, para posteriormente tomar uma decisão;

3 – O projeto apresentado pelo Executivo e aprovado pela Câmara de Vereadores está totalmente dentro da legalidade. Não há nenhum vício, nem afronta os princípios que regem a administração pública.

4 – O processo de doação cumpriu apenas uma etapa inicial. A lei aprovada pelo Poder Legislativo sequer foi sancionada e tem um caráter autorizativo, já que as contrapartidas sociais e limitações para o uso da área – que pode ser revertida ao patrimônio do Município – deverão ser definidas em decreto.

5 – A atual gestão respeita a decisão judicial de primeira instância, embora tenha o direito de ingressar com recurso junto à instância superior, caso decida por esse caminho.

6- Por fim, reafirma o compromisso de proteger, de forma transparente, a cultura, investir nas iniciativas que zelam pela autenticidade da alma de nossa gente e projetam o nome de Campina Grande em nível nacional e internacional. 

COORDENADORIA DE COMUNICAÇÃO

Nilvan Ferreira e Ricardo Coutinho lideram disputa pela prefeitura de João Pessoa

Em enquete realizada pelo Programa Arapuan Verdade, do Sistema Arapuan de Comunicação na tarde desta terça-feira (26), o ex-governador do Estado, Ricardo Coutinho aparece em primeiro lugar com 44  intenções de voto seguido do radialista Nilvan Ferreira 16. A enquete contou com a participação de 110 pessoas.

O terceiro mais lembrado  foi o vereador  licenciado Durval Ferreira com 12 menções. empatados em quarto lugar estão o deputado Eduardo Carneiro e o ex-senador Cícero Lucena com 7  intenções de voto, destaca publicação do portal do Grupo Arapuan.

O  deputado Wallber Virgolino, a secretária Socorro Gadelha, o vereador Bruno Farias e o secretário Diego Tavares aparecem empatados em quinto  lugar com 3 menções.

O levantamento foi feito de forma espontânea,  não teve caráter cientifico e foi base na participação por meio das redes sociais e ligações telefônicas.

Ricardo Coutinho – 44

Nilvan Ferreira – 16

Durval Ferreira  – 12

Eduardo Carneiro – 7

Cícero Lucena – 7

Wallber Virgolino – 3

Socorro Gadelha – 3

Bruno Farias- 3

Diego Tavares- 3

José Maranhão – 2

Luiz Couto – 1

Roberto Cavalcanti – 1

Efraim Filho – 1

Lucélio Cartaxo -1

Diogo Almeida- 1

Raoni Mendes – 1

Petrúcio Ferreira – 1

Helena Holanda – 1

Felipe Leitão -1

Ruy Carneiro – 1

Thiago Moraes

Partido de Wellington Roberto é a única legenda a aceitar o ex-presidiário Berg Lima

Em tempos de corrupção e descrédito da sociedade com a classe política, geralmente os partidos procuram se ‘limpar’ para passar uma imagem melhor para o eleitorado.

Não é o caso do PL, antigo PR, do deputado federal Wellington Roberto, que convidou o ex-presidiário Berg Lima, preso em flagrante com dinheiro no cofrinho para a sua legenda.

Berg peregrinou feito um leproso por todos os partidos, mas ninguém o quis, com exceção de Wellington Roberto.

Diga-me com quem andas e te direi quem és! Será que o deputado assistiu este vídeo?

 

 

Julian Lemos visita hospital Edson Ramalho e destaca emenda de R$ 1 milhão

Apesar de não ser um parlamentar da base do governo João Azevedo, o deputado federal Julian Lemos tem ajudado mais do que os ‘aliados’, a exemplo de Gervásio Maia.

Dentre os R$ 18 milhões em emendas de Julian, o hospital Edson Ramalho foi beneficiado com R$ 1 milhão.

“Hoje estive no Hospital Edson Ramalho, um dos mais importantes hospitais da Paraíba, sob a administração do Cel. Almeida e demais militares que, e que atende milhares de pessoas da grande João Pessoa e cidades vizinhas. Com mais de 50 anos de atividade e mais de 180 leitos, maior do que o próprio Trauma, porém, com uma receita muito menor, vem atendendo muitos, mas precisa de ajuda”, disse Lemos.

 

Em entrevista nos EUA, Guedes ameaça com volta da ditadura: ‘Não se assustem se alguém pedir o AI-5’

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta segunda-feira (25) que não é possível se assustar com a ideia de alguém pedir o AI-5 diante de uma possível radicalização dos protestos de rua no Brasil.

A afirmação foi feita durante entrevista coletiva em Washington, em que Guedes comentava a convulsão social e institucional em países da América Latina e disse que era preciso prestar atenção na sequência de acontecimentos nas nações vizinhas para ver se o Brasil não tem nenhum pretexto que estimule manifestações do mesmo tipo, informa a jornalista Marina Dias na Folha de S.Paulo.

“Sejam responsáveis, pratiquem a democracia. Ou democracia é só quando o seu lado ganha? Quando o outro lado ganha, com dez meses você já chama todo mundo para quebrar a rua? Que responsabilidade é essa? Não se assustem então se alguém pedir o AI-5. Já não aconteceu uma vez? Ou foi diferente? Levando o povo para a rua para quebrar tudo. Isso é estúpido, é burro, não está à altura da nossa tradição democrática.”

Paulo Guedes justificou as ameaças sobre a edição de um novo AI-5 feitas por um dos filhos de Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro. Para ele, trata-se de uma reação ao que chamou de convocações feitas pela esquerda, endossadas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva logo depois de ser solto, há pouco mais de duas semanas.

Guedes disse que era “uma insanidade” o petista pedir a presença do povo nas ruas e que “chamar o povo para rua é uma irresponsabilidade”.

O ministro de Bolsonaro confirmou que o projeto de lei que prevê o excludente de ilicitude seria também uma resposta de Bolsonaro a Lula.

Pela segunda vez Jair Bolsonaro corta reajuste do salário mínimo

O governo de Jair Bolsonaro anunciou na semana passada a segunda revisão de projeção para o valor do salário mínimo, hoje em R$ 998,00. Em agosto deste ano a equipe econômica comandada pelo ministro da Economia, o banqueiro Paulo Guedes, já havia anunciado uma redução de R$ 1.040,00 para R$ 1.039,00. Agora, anuncia nova revisão para R$ 1.030,00. Já são R$ 10,00 que o governo Bolsonaro tira do bolso dos trabalhadores e das trabalhadoras.

Com a medida, o governo também vai diminuir os reajustes dos benefícios assistenciais, previdenciários, além do abono salarial e do seguro-desemprego, baseados no piso salarial do País.

Paulo Guedes sempre deixou claro que defende que o salário mínimo seja corrigido apenas pela inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e não mais pela Política de Valorização do Salário Mínimo, bandeira da CUT, iniciada no governo Lula em 2004 e mantida por Dilma Rousseff. Até Bolsonaro assumir o poder, o salário mínimo era reajustado pela inflação medida pelo INPC mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

Teto dos Gastos Públicos

Desde que o golpista Michel Temer (MDB/SP) conseguiu aprovar no Congresso Nacional a Emenda Constitucional (EC nº 95), que limita os gastos públicos por 20 anos, os governos pós- golpe de 2016, tentam fechar as contas sem estourar o teto, mas colocam a conta nas costas da classe trabalhadora.

A projeção do governo Bolsonaro é economizar R$ 5,2 bilhões no Orçamento de 2020, com a revisão para baixo do salário mínimo, para manter as contas dentro do que limita a EC 95.

A proposta já foi encaminhada ao Congresso, que terá a decisão final se o reajuste do salário mínimo perderá poder de ganho como quer o banqueiro Paulo Guedes.