Virgolino manda indireta para RC: “O lema das eleições de 2020 vai ser polícia X ladrão, e eu serei a polícia”

Em contato com o blog, o deputado estadual e pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Wallber Virgolino, antecipou o mote da eleição de prefeito: “O lema das eleições de 2020 vai ser polícia X ladrão, e eu serei a polícia”.

Segundo Virgolino, o ex-governador Ricardo Coutinho é o chefe da ORCRIM girassol. Na semana passada, Wallber foi curto e grosso, dizendo que ele era polícia, e Ricardo Coutinho o ladrão.

Segundo delegado, Ricardo Coutinho é o chefe da ORCRIM girassol

ÁUDIO: Ex-secretário de Administração Penitenciária afirma que foi demitido porque Ricardo Coutinho queria terceirizar alimentação para superfaturar as compras

Ao rebater as críticas do ex-governador Ricardo Coutinho, o deputado estadual Delegado Virgolino confessou o real motivo da sua exoneração durante entrevista na rádio Correio, na última segunda, 29.

“Se ele quer os motivos pelos quais eu saí da Administração Penitenciária, eu digo: ele queria terceirizar a alimentação [dos presídios] para poder superfaturar de R$ 25 milhões para R$ 45 milhões e eu não concordei com isso.

Fala de Ricardo Coutinho pode ser interpretada como obstrução de Justiça, comenta Wallber Virgulino

Em texto publicado nas redes sociais, o deputado estadual Wallber Virgolino criticou a postura de Ricardo Coutinho e disse que sua fala pode ser interpretada como obstrução de Justiça:

É fato, quanto mais se esperneia, o grupo girassol se complica cada vez mais.

Dessa vez, o próprio chefe comete um erro impraticável, erros daqueles crassos, qual seja, em evento oficial do Governo do Estado, o ex-governador RC disse: “Neste governo, ninguém solta a mão de ninguém”.

Na minha concepção, ao tentar mandar um recado subliminar à ex-secretária Livânia e aos demais envolvidos para que não contribuíam com a Justiça, tal conduta RC se complica e, em tese, pode ser mal compreendido e responder por obstrução à investigação de infração penal de organização criminosa”, qual seja, “o ato de impedir ou embaraçar investigação penal que apura organização criminosa.”

Em tempo de fiscalização e criminalização de opiniões e falas, é precedente perigoso.

Sem prejuízo da utilização de um evento governamental para interesse próprio.

PRESO POR CORRUPÇÃO: Walber Virgolino é criticado nas redes sociais por manter agenda política com Berg Lima

Não está repercutindo bem a foto do deputado estadual Walber Virgolino com o prefeito ex-presidiário de Bayeux, Berg Lima. E não podia ser diferente. O parlamentar e delegado tem uma imagem séria, de combate à corrupção. Bem diferente de Berg Lima, preso em flagrante ao receber propina de um empresário da cidade.

Nas redes sociais, seguidores de Virgolino não entenderam a foto e questionaram o deputado. Tudo bem que por obra da (in)justiça Berg ainda é o prefeito de Bayeux, mesmo ferindo o princípio constitucional da moralidade administrativa. Mas manter agenda política com um prefeito preso em flagrante não combina com a postura “linha dura” de Walber Virgolino e o discurso adotado na campanha eleitoral.

  

Mais sujo que pau de galinheiro, Berg Lima resolveu tirar uma casquinha e mandou a foto para portais que divulgaram matérias mostrando que o prefeito de Bayeux (pasmem!) recupera o prestígio e a confiança da classe política.

 

CPI DA TERCEIRIZAÇÃO: Walber Virgolino diz que João Azevedo escala “mamadores do dinheiro público” para defender os escândalos do governo

O deputado estadual Walber Virgolino tem feito mais estragos ao governo que praticamente toda a bancada de oposição. Enquanto muitos parlamentares seguem curiosamente em silêncio, Walber vem cumprindo o seu papel como parlamentar de oposição e foi o primeiro a propor a CPI para investigar os escândalos de corrupção que envolvem os governos de Ricardo Coutinho.

Em postagem no Instragram, Walber afirmou que os políticos perderam a vergonha na cara e que o governo escalou parte de um grupo de asseclas mamadores do dinheiro público sem credibilidade para fazer a defesa dos envolvidos nos escândalos:

Os políticos paraibanos, sobretudo, os governistas perderam a vergonha de vez.

Diante dos vários escândalos que atingiram o Governo nos últimos dias, ao invés de punição administrativa severa, qual seja: EXONERAÇÃO, o Governo Estadual escala parte de um grupo de asseclas mamadores do dinheiro público sem credibilidade para fazer a defesa, inclusive jurídica da organização, objetivando iludir o povo com comentários vazios e sem qualquer tipo de fundamentação lógica.

Não importa se a licitação foi finalizada ou não. Os envolvidos não reúnem a mínima condição moral para continuar na administração pública.

Escutar de um “Procurador do Estado” que não cometeu crime algum pelo fato de não ter sido realizada a licitação, consiste num verdadeiro absurdo.

O crime enraizado no artigo 90 da Lei 8.666/93, qual seja, FRUSTAR OU FRAUDAR COMPETIÇÃO, está perfeitamente comprovado, inclusive configurado se encontra a associação criminosa.

Este crime está diretamente ligado a violação dos princípios da licitação, que são: igualdade, competitividade, julgamento objetivo, bem como aos princípios constitucionais da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade e Eficiência.

Esse é o entendimento do Plenário do STF, que já decidiu reiterada vezes: o delito previsto no art. 90, é FORMAL, cuja consumação dá-se mediante o mero ajuste, combinação ou adoção de qualquer outro expediente com o fim de fraudar ou frustar o caráter competitivo da licitação, com o intuito de obter vantagem, para si ou para outrem, decorrente da adjudicação do seu objeto, de modo que a consumação do delito independe da homologação do procedimento licitatório. .

Desse modo, basta que o agente frustre ou fraude o caráter competitivo da licitação, mediante ajuste, combinação ou qualquer outro expediente, com o intuito de obter vantagem decorrente da adjudicação do objeto do certame, vantagem essa que pode ser para si ou para outrem.

O povo não pode ser mais enganado, vamos ficar de olho, inclusive cobrando das autoridades, respostas urgentes e enérgicas.

O que me intriga é um MP que faz RECOMENDAÇÃO pra tudo, não ter feito uma pedindo para o Governador afastar os investigados dos cargos…